A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

02/10/2019 16:45

Sem negociação com prefeitura, universitários mantêm bloqueio na MS-156

Rodovia entre Dourados e Itaporã está interditada por acadêmicos indígenas há 33 horas; PMR orienta desvio por Panambi

Helio de Freitas, de Dourados
Bloqueio da MS-156, na rotatória de acesso às aldeias, já dura 33 horas (Foto: Adilson Domingos)Bloqueio da MS-156, na rotatória de acesso às aldeias, já dura 33 horas (Foto: Adilson Domingos)

Já dura 33 horas a manifestação de universitários indígenas que bloqueiam a MS-156, em Dourados, a 233 km de Campo Grande. A interdição ocorre na rotatória de acesso às aldeias Bororó e Jaguapiru, no trecho entre Dourados e Itaporã. Os manifestantes cobram da prefeitura a retomada do transporte de pelo menos 140 acadêmicos que moram na reserva.

Líderes do movimento afirmam que até agora nenhum representante da prefeitura os procurou para conversar. Ontem, por meio da assessoria de imprensa, o secretário municipal de Educação Upiran Jorge Gonçalves disse que o município não tem obrigação legal de garantir transporte a universitários.

Dezenas de carros e caminhões estão parados desde ontem de manhã no ponto de bloqueio. A PMR (Polícia Militar Rodoviária) informou que a rota alternativa para seguir viagem entre Dourados e Itaporã é a MS-379, pelo distrito de Panambi. O acesso ao distrito é feito pela BR-163, ao lado da PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

Os manifestantes prometem manter a estrada bloqueada até a prefeitura abrir negociação. Ontem, o capitão da Aldeia Jaguapiru, Isael Morales, o Neco, disse que assessores da prefeita Délia Razuk (PTB) chamaram representantes do movimento para conversar, mas o pedido foi rejeitado. “Queremos eles aqui”, disse o líder indígena.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions