ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 27º

Interior

Suspeito de envolvimento em execução morre em confronto com a polícia

Juliano dos Santos Ramires, de 28 anos, estava sendo procurado desde a execução de um adolescente de 17 anos

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 20/01/2022 20:26
Arma que o suspeito utilizou para atirar nos policiais. (Foto: Adilson Domingos)
Arma que o suspeito utilizou para atirar nos policiais. (Foto: Adilson Domingos)

Juliano dos Santos Ramires, de 28 anos, foi morto em troca de tiros com policiais civis na noite desta quinta-feira (20), em Dourados, cidade a 233 quilômetros de Campo Grande. Juliano era suspeito de envolvimento na execução do adolescente Gustavo Belarmino Bogarim, de 17 anos, ocorrido há 10 dias no município .

Os policiais do SIG (Setor de Investigações Gerais), inclusive, estavam à procura do suspeito para cumprirem o mandado de prisão contra ele, quando o encontraram pilotando uma moto modelo Biz, no anel viário de Dourados, próximo ao acesso a rodovia MS-156, que liga Dourados a Itaporã. Juliano transportava uma jovem na garupa.

Ao descer da moto e receber a voz de prisão, o rapaz teria sacado uma arma e atirado contra os policiais, que revidaram. Juliano ainda foi socorrido pelos policiais ao Hospital da Vida, mas não resistiu aos ferimentos. Não há a confirmação de quantos disparos atingiram o suspeito ou qual a participação de Juliano na execução do adolescente.

Conforme apurado pela reportagem, Juliano morava na região do Jardim Colibri, em Dourados, mas desde o crime, ele estava se escondendo em propriedades rurais próximas ao município.

Por engano - A Polícia Civil de Dourados suspeita que Gustavo tenha sido morto por engano. No último dia 10, a vítima estava com outros dois rapazes, identificados apenas como Vinicius e Danilo, em uma conveniência na Rua Dom Pedro Primeiro, na Vila Industrial. No local, também estava o autor dos disparos, Luan Vitor dos Santos Bento, de 22 anos, acompanhado da esposa.

O grupo conversava, quando houve um desentendimento. Em seguida, Vinicius e Danilo levaram Gustavo para casa. Luan teria saído com a esposa logo após e, em um Gol preto, estacionou o veículo na esquina e foi a pé até o portão, onde pediu cocaína. Um rapaz saiu e questionou quem era, momento em que Luan invadiu a casa e perguntou qual deles era Danilo e começou a atirar.

Ainda conforme as investigações, Danilo e Vinicius conseguiram fugir e como Gustavo ficou para trás, recebeu os disparos. Ele foi ferido com dois tiros no rosto e um no peito, logo abaixo da axila direita, e morreu sentado em uma cadeira.

Após o crime, a polícia passou a monitorar a residência de Luan. Ele foi preso nesta segunda-feira em casa e ainda estava com a roupa usada no momento do crime. No local, foi encontrada uma arma .38 especial de 8 tiros, utilizada ultimamente por pistoleiros pela capacidade de munição que possui.

Com a colaboração de Adilson Domingos.

Nos siga no Google Notícias