A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

20/11/2015 10:41

Vereador rebate comissão e diz que autores de denúncia são pré-candidatos

Para Manoel Messias, moradores que acusam vereadores de Naviraí estão revoltados “porque não tiveram seus interesses atendidos”

Helio de Freitas, de Dourados
Vereador Manoel Messias rebateu comissão de moradores de Naviraí (Foto: Divulgação)Vereador Manoel Messias rebateu comissão de moradores de Naviraí (Foto: Divulgação)

O primeiro secretário da Câmara de Naviraí, Manoel Messias (PTdoB), rebateu a denúncia de integrantes de uma Comissão de Participação Popular, de que os atuais vereadores usaram a população para cassar os envolvidos na Operação Atenas. Segundo ele, os líderes do grupo que procurou o Campo Grande News na terça-feira (17) são pré-candidatos a vereador e reclamam por não terem seus interesses pessoais atendidos.

“Não usei ninguém para estar onde estou. Estou onde estou por conta de uma investigação de um ano do Ministério Público e da Polícia Federal que culminou no afastamento de todos os ex- vereadores e, por conseguinte, a cassação. Não tive por base essas pessoas para dar o meu voto no julgamento”, afirmou Messias ao Campo Grande News.

Com a transformação dos 13 eleitos em 2012 em réus na ação penal da Operação Atenas, os vereadores foram cassados ou afastados neste ano e atualmente todos atuais legisladores da cidade, que fica a 366 km de Campo Grande, eram suplentes antes das investigações.

Manoel Messias disse que sua atuação em relação ao caso teve como base a denúncia do MP e depoimentos de funcionários que eram extorquidos. “Três meses após a posse deles em Janeiro de 2012 fui procurado por um ‘amigo’ (que não vem ao caso agora citar o nome) de que muito embora estivesse realizado com o cumprimento da promessa do cargo por um dos vereadores, ele não estava satisfeito porque tinha que repassar parte de seu vencimento”, afirmou.

“Desespero” – O primeiro secretário da Câmara acusa os líderes da comissão de lutarem apenas por seus interesses pessoais. “Não estou levando em conta o que esse grupinho alardeia com tanto desespero, pois vejo neles apenas pessoas que de uma forma ou outra não tiveram seus interesses atendidos”.

Segundo o presidente da comissão, Claudenir Diomásio, oito dos suplentes que agora atuam como vereadores incitaram os protestos. “Eles inflamaram a população, pregando que iriam fazer o melhor para Naviraí. Deram apoio ideológico e financeiro, pagaram barracas para acampamento, marmita, fogos, carros de som, telão para transmissão das sessões de cassação e faixas para os protestos, mas agora estão fazendo tudo ao contrário do que prometeram. Não estão fiscalizando o Executivo e nós nos sentimos traídos por eles”, revelou Claudenir.

Interesse eleitoral – Messias diz que a atual mesa diretora reduziu pela metade os valores de verba de gabinete, assim como, os gastos com diárias – um dos motivos que levaram à Operação Atenas, já que a PF encontrou indícios de que os ex-vereadores recebiam diárias de forma fraudulenta.

Ele também acusa o grupo de fazer as denúncias por interesses eleitorais: “Essas pessoas estão filiadas ao PSOL e são pré-candidatos. Nunca produziram ou contribuíram com nada para o município, portanto, particularmente, para mim não tem nenhuma credibilidade. Estão achando que agindo assim vão conquistar a população e automaticamente um possível cargo eletivo. O tempo dessa politicagem suja passou”.

Passo do Piraju deve receber posto de saúde e energia, determina Justiça
O MPF-MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul) conseguiu na Justiça que a União fosse condenada a construir um posto de saúde e instalar...
Dourados abre período de pré-matrículas em escolas e creches municipais
Foi aberto nesta segunda-feira (11) o período de inscrições para matrícula (a pré-matrícula) nas unidades escolares e Centros de Educação Infantil de...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions