A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2018

26/11/2018 23:42

Vice e suplentes são empossados após prisão de prefeito e vereados

Os chefe do executivo e parlamentares foram presos por participação em um esquema de mensalinho

Adriano Fernandes
Novo prefeito durante a sua fala na cerimônia. (Foto: Diário Corumbaense) Novo prefeito durante a sua fala na cerimônia. (Foto: Diário Corumbaense)

Foram empossados na noite desta segunda-feira (26) o pastor e vice-prefeito, Iranil de Lima Soares (PSDB) e os sete suplentes dos vereadores de Ladário, presos nesta segunda-feira (26) durante operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) no município que fica a 419 quilômetros de Campo Grande.

Na operação, o ex-prefeito da cidade Carlos Anibal Ruso (PSDB) também foi preso apontado de chefiar o esquema de propina entre os servidores da prefierua no chamado “mensalinho”. Na cerimônia desta noite (26) com direito a Câmara de Vereadores lotada, o presidente da casa de leis, Fábio Peixoto (PTB) declarou a vacância do cargo de prefeito e empossou oficialmente o pastor, que não tem carreira na administração do município.

Quanto a atual crise política na cidade Iranil pontuou que o momento exige ação. “O município não pode parar e tem pessoas que estão dispostas a nos ajudar a atravessar esse momento. Vou dar prioridade para alguns servidores de carreira e a primeira medida é saber como a administração se encontra”, comentou.

O novo prefeito também adiantou que solicitou uma audiência com o governador Reinaldo Azambuja para discutir projetos para a cidade. “Não há como governar sem a conversa com o Legislativo e a população. Mas sempre deixando bem claro os limites de cada um, sem barganhar cargos em troca de apoio político. Temos sim que construir um projeto juntos em prol da comunidade”, acrescentou.

Outro agravante é a crise financeira que afeta 60% da receita do município e pode gerar demissões. “Já solicitei que se faça o levantamento de todos os funcionários comissionados para que possamos analisar, mas a maioria deve ser dispensada para que nós possamos reduzir a folha de pagamento”, adiantou.

 

 

Nos vereadores que tomaram posse esta noite. (Foto: Diário Corumbaense) Nos vereadores que tomaram posse esta noite. (Foto: Diário Corumbaense)

Suplentes - Os novos parlamentares empossados são Ludimir Ferreira de Souza, o Xumi (PSB); Rubens Rojas Gimenes (PTB); Delary Bottega Ebeling (PP); Antonio João Conde da Silva (PSDB); Gesiel Paiva Figueiredo, o Gesiel da Levytur (PEN); Rosiane Arnaldo (PSB), conhecida como Zica e Marcos Fernando da Silva Cordova (PPS) e o Papai Noel, líder comunitário do Bairro Nova Aliança, na cidade, que teve 157 votos depois de uma campanha percorrendo as ruas de Ladário de bicicleta.

Operação - Conforme o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), as investigações têm por objetivo esclarecer uma suposta prática dos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva no Legislativo e no Executivo da cidade.

O prefeito Carlos Anibal Ruso Pedrozo (PSDB), o secretário municipal de educação, Helder Naulle Paes, e os vereadores de Ladário são acusados de participação no esquema. Os sete parlamentas presos são: Augusto de Campos, Lília Maria de Vilavalva de Moraes Silva, Paulo Rogério Feliciano Barbosa, Osvalmir Nunes da Silva, André Franco Caffaro, Agnaldo dos Santos Silva Junior e Vagner Gonçalves.

Apenas quatro não são investigados pelo Gaeco. Três deles, o presidente do Legislativo, Fábio Peixoto (PTB); Jonil Júnior Gomes Barcelos (PMN) e Daniel Benzi (PMDB) colaboraram diretamente para que o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e o Ministério Público levantassem provas sobre o pagamento de “mensalinho”.

Com informações do Diário Corumbaense***



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions