A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

14/03/2018 21:10

Metade dos adolescentes de MS precisam vacinar-se contra o HPV

Campanha nacional também visa imunizações contra a meningite

Kleber Clajus
Ministro da Saúde, Ricardo Barros, ressaltou que as escolas também serão envolvidas no esforço de ampliar a cobertura vacinal contra o HPV e a meningite (Foto: Luís Oliveira/MS)Ministro da Saúde, Ricardo Barros, ressaltou que as escolas também serão envolvidas no esforço de ampliar a cobertura vacinal contra o HPV e a meningite (Foto: Luís Oliveira/MS)

Mato Grosso do Sul, conforme o Ministério da Saúde, teve imunizados 51,1% das meninas e 46,7% dos meninos contra o HPV (Papiloma Vírus Humano). Tal cobertura levou o governo a convocar os adolescentes a atualizar as carteiras de vacinação também contra a meningite.

Devem ser vacinados contra o HPV, as meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Tal vacina, que deve ser reaplicada até seis meses após a primeira dose, previne diversos tipos de cânceres como do colo do útero, vagina, pênis e ânus, além de verrugas genitais.

No caso da meningite C, o ministério ampliou a faixa etária em dois anos, possibilitando que meninos e meninas de 11 a 14 anos recebam a imunização de reforço daquelas já recebidas inicialmente aos três, cinco e doze meses de vida. A meta hoje consiste em vacinar 80% do público-alvo, ante os 32% alcançados no ano passado em todo o país.

O HPV é transmitido pelo contato direto com a pele ou mucosa infectada e não somente por relações sexuais, podendo inclusive ocorrer durante o parto. A meningite, por sua vez, tem sua propagação por meio de secreções respiratórias de pessoas infectadas, assintomáticas ou doentes. Seus principais sintomas envolvem febre alta que começa abruptamente, dor de cabeça intensa e contínua, vômito, náuseas, rigidez na nuca e manchas vermelhas na pele.

Campanha - Usando a linguagem de séries, campanha publicitária usa o slogan "Não perca a nova temporada de Vacinação contra a meningite C e o HPV" para incentivar a imunização entre os adolescentes. As escolas também foram mobilizadas por meio do Programa Saúde na Escola, fruto da parceria entre os ministérios da Saúde e Educação

"Vamos insistir para ampliar a cobertura vacinal e insistir na escola, onde podemos fazer uma potencialização da imunização e assim diminuir a prevalência do HPV, que hoje está muito alta, acima de 50% nos jovens brasileiros", disse o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Foram enviadas as escolas material informativo sobre as doenças, para que os professores sejam estimulados a conversar com os alunos e seus familiareas sobre o tema. O Brasil é o primeiro país da América do Sul e o sétimo do mundo a oferecer a vacina HPV também para meninos em programas nacionais de imunizações.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions