A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

31/01/2017 16:17

Ministério exclui MS da lista de estados com casos suspeitos de febre amarela

Além da investigação para confirmar se caminhoneiro teve realmente a doença, vigilância epidemiológica tenta descobrir onde ele pode ter contraído o vírus

Anahi Zurutuza
Aplicação da vacina contra a febre amarela; doses estão disponíveis nos postos de saúde de todo o Estado (Foto: Marcos Ermínio)Aplicação da vacina contra a febre amarela; doses estão disponíveis nos postos de saúde de todo o Estado (Foto: Marcos Ermínio)

O Ministério da Saúde divulgou novos dados sobre o surto de febre amarela no Brasil e excluiu Mato Grosso do Sul da lista de estados brasileiros onde foram registrados casos suspeitos. De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde), o ministério não havia levado em consideração que o caminhoneiro que passou o fim de ano em Bonito – a 257 km de Campo Grande – e depois apresentou sintomas da doença também havia passado por São Paulo.

O caso continua em investigação, mas agora a unidade da federação para onde o paciente pode ter contraído o vírus também é motivo de dúvida, conforme consta no último boletim de epidemiológico divulgado pelo ministério.

Segundo a SES, o homem de 39 anos, que vive em Blumenal (SC), ficou em Mato Grosso do Sul do dia 25 de dezembro a 2 de janeiro. Além de Bonito, ele fez paradas em várias cidades até cruzar a divisa com São Paulo. O caminhoneiro só apresentou os sintomas da doença perto do dia 15 de janeiro – intervalo de 13 dias.

O período de tempo entre a saída do caminhoneiro do território sul-mato-grossense e a internação dele em Santa Catarina também pode descartar que ele tenha tido contato com o vírus da febre amarela no Estado. Isso porque o período de incubação da doença – intervalo entre a picada do mosquito e o aparecimento dos sintomas – é de três a seis dias.

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina comanda a investigação, que depende de exame a cargo do laboratório Adolfo Lutz, em São Paulo (SP), para confirmar se o homem teve febre amarela. Um primeiro exame, feito em Blumenal, deu resultado negativo para a doença e positivo para leptospirose.

A SES também monitora a situação e informa que o paciente está bem, já em casa.

Surto – Conforme o boletim do Ministério da Saúde, no Brasil, há 430 casos de febre amarela em investigação, 107 foram confirmados e 31 descartados. Dos 113 óbitos notificados, 46 foram confirmados, 64 ainda são investigados e três foram descartados (veja no quadro)

Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia e São Paulo são os Estado onde há pacientes com suspeita da doença. “Já o caso atribuído inicialmente, como local provável de infecção ao Mato Grosso do Sul, está sendo reavaliado”, divulgou o ministério.

Doença - A febre amarela é uma doença infecciosa, causada por um vírus transmitido pela picada de mosquitos, por isso, há maior risco em Estado existem matas, como é o caso do Mato Grosso do Sul.

Os sintomas são febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo. A doença causa insuficiência hepática e renal.

A vacina, que tem validade de dez anos, é a melhor forma de prevenção, segundo o Ministério da Saúde.

Ministério exclui MS da lista de estados com casos suspeitos de febre amarela


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions