A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

23/04/2012 11:19

Mobilização de servidores põe Justiça Estadual em sistema de plantão

Mariana Lopes

-

Funcionários se concentraram em frente ao Tribunal de Justiça para pedir reajuste

Servidores em frente ao TJMS (Foto: Pedro Peralta)Servidores em frente ao TJMS (Foto: Pedro Peralta)

Cerca de 400 servidores dos fóruns de Mato Grosso do Sul paralisaram os trabalhados na manhã desta segunda-feira (23) e ocuparam a frente do Tribunal de Justiça de MS. O objetivo é reivindicar reajuste salarial de 18%, entre outras melhorias.

Por conta da paralisação, os fóruns funcionam hoje em sistema de plantão judiciário. Só vão tramitar pedidos de habeas-corpus e mandados de segurança, pedidos de busca e apreensão de pessoas, bens ou valores, medida cautelar em que da demora possa resultar risco de grave prejuízo ou de difícil reparação.

Segundo o presidente do Sindijus (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul), Dionízio Avalhaes, a paralisação não acarreta nenhum problema para a sociedade. “O único problema que poderia ocorrer é as pessoas perderem prazo dos processos, mas eles serão prorrogados, está tudo certo”, garante.

Outras reivindicações - Para os servidores, a situação pela qual eles passam é de descaso do Tribunal de Justiça. “Trabalhamos com o quadro de pessoal reduzido, além da diferenciação entre o magistrados e os servidores. Nós dividimos o mesmo duodécimo, mas as vantagens pendem muito mais para o lado deles”, reclama Nildo Martins, analista judiciário do Fórum de Campo Grande há 20 anos.

Ele conta que enquanto o auxílio alimentação dos magistrados é de cerca de R$ 900, o dos servidores fica em torno de R$ 350. “O Tribunal alega que não há dinheiro para aumentar o salário e os benefícios, mas no ano passa do devolveram R$ 6 milhões para o Estado”, denuncia Nildo.

Outro problema apontado pelos servidores é a tercerização do pessoal da limpeza, e, por conta disso, os agentes de serviços gerais tiveram que ser remanejados para os cartórios judiciais e desempenhar a função de analista judiciário, sem receber a mais por isso.

O distribuidor Giordano Ramires da Silva conta que no Fórum da comarca de Bela Vista há uma demanda de cerca de cinco mil processos para 15 servidores e um juiz. “Nem o tempo de trabalho é suficiente para dar conta de atender tudo, falta pessoal”, aponta.

A mobilização conta também com servidores de 42 comarcas presentes na frente do Tribunal. Apenas quatro comarcas não aderiram à paralisação, sendo elas: Angélica, Ivinhema, Nioaque e Nova Andradina.

Ainda na manhã de hoje, o presidente do Sindijus se reúne com o presidente do TJMS, o desembargador Hildebrando Coelho Neto. De acordo com Dionízio, caso não haja um acordo que agrade os servidores, já está pré-marcada uma greve no dia 14 de maio, por tempo indeterminado.



Total apoio!!!! Esse pessoal é extremamente explorado frente ao Estado e o Tribunal de Justiça. Salário que nunca acompanha nem mesmo o aumento do salário mínimo. Parabéns pela iniciativa!!!!
OBS: Lidia imagina vc trabalhar numa empresa e todo ano ganhar menos (os reajustes não acompanham o mínimo)! Seria desesperador para vc e sua família!
 
Rodrigo Batista em 23/04/2012 12:56:22
Que pensamento mesquinho hein Lidia, quer dizer que se tem gente com fome ninguém pode reivindicar reajuste salarial? Pensa um pouquinho antes de escrever vai.
 
Lucio Jorge em 23/04/2012 12:50:24
O salário pode ser baixo, mas a qualificação dos servidores deixa a desejar! Eles recebem o que realmente merecem!
Veja servidores da Justiça Federal, recebem muito mais, e são pessoas muito mais instruídas, e não há essa zona que há na justiça estadual!!
E outra, não se compara vencimentos de juízes com meros servidores mortais! Há uma grande diferença!!
 
José Noel em 23/04/2012 12:42:52
Que Deus ajude todos funcionários deste rico Estado na conquista de seus ideiais já que nas eleições passadas a maioria optaram para ter momentos como este, se rebelando contra o que estava mais ou menos bom depois de muitas angustias. O tempo passa, as gerações mudam, as cabeças atrofiam e a amnésia toma conta. A história nunca é relida mas seu retorno é o anseio de muitos. Toma! Bem feito!
 
Ezio Jose em 23/04/2012 12:30:58
Pelo amor de DEUS..............trabalham 6 hs. não fazem quase nada, processos parados, amarelando, e ainda querem reajuste.
isso é BRASIL.
 
Eliana Lopes em 23/04/2012 12:19:41
enquanto isso nós é que pagamos a conta, os processos vão ficando ai parado...voces pelo menos estao trabalhando enquanto muitos não tem o que comer.entao pelo amor de DEUS,tenham conciencia .
 
Lidia rodrigues em 23/04/2012 11:50:42
Força companheiros!!!!!!!!!
 
Simone da Conceição Possas em 23/04/2012 11:44:11
Ah Lidia! Se você não tem o habito de trabalhar, fale por si mesma, não generalize. As pessoas merecem respeito, inclusive eu, que apenas estou lendo a matéria. Se realmente soubesse o que ocorre no seu BRASIL não perderia tempo falando bobagens.
 
Karla Maurianne em 23/04/2012 08:26:06
Lidia /José Noel: triste ver a ignorância manifesta, "vergonha alheia" é o q sinto por vcs. Não sou servidora do judiciário, mas entender o q se passa lá dentro é apenas uma questão de observação, simples aos olhos de quem possui um pouco de inteligência. Ridícula a comparação com a JF, pois esta só seria correta se houvessem as mesmas condições. Qto ao q diz respeito aos juízes, aprenda a ler!
 
Karla Maurianne em 23/04/2012 08:15:15
Aposto que a maioria que posta contra, não sabe nem quanto ganha um servidor do judiciário. Falam abobrinha, só quem está dentro da categoria sabe e pode falar o que realmente acontece. Cada um na sua, se professor, pm, civil, bombeiros fazem greve, é pq eles sabem do que precisam, não precisa os de fora falar mal.
 
Ederson Melo em 23/04/2012 07:20:48
A Lidia e a Eliana deviam fazer as "poucas" 6 horas como voluntárias nas varas do fórum para poderem opinar com conhecimento de causa, pois com certeza não têm noção do que é uma mesa de cartório nos fóruns de MS.
 
Márcia Ortiz em 23/04/2012 06:56:08
E aí... o TJ vai considerar essa paralização ilegal, como fez com a Polícia Civil?????
 
Osmar Telo em 23/04/2012 05:21:22
A exigência de qualificação para o cargo de analista, estadual ou federal, é de nível superior completo, assim, a formação é a mesma - área fim, bacharel em direito. Na justiça estadual há mto mais celeridade processual e qualidade na prestação jurisdicional. E mais essa - simples mortais - os juízes não são? Ninguém está pedindo mesmo salário, só menos discrepância. Procura saber antes de falar.
 
Andressa Belanda em 23/04/2012 04:45:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions