A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

07/03/2015 10:01

Outono levará chuvas acima da média apenas no centro sul de MS

Flávia Lima
Estação é marcada por períodos de altas temperaturas e formação de chuvas no decorrer do dia. (Foto:Marcelo Calazans)Estação é marcada por períodos de altas temperaturas e formação de chuvas no decorrer do dia. (Foto:Marcelo Calazans)

O verão chega ao fim no dia 20 de março às 19h45, no horário de Brasília. Frente a atual escassez de chuvas que assola grande parte do país, ocasionando a pior crise hídrica já vivenciada principalmente nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, a dúvida, principalmente dos agricultores, é saber se o quadro irá se repetir na próxima estação. Só choverá mais do que o esperado na região sul e as temperaturas devem cair, mas o frio não deve chegar a nova estação.

Em Mato Grosso do Sul, o volume de chuvas no verão ficou abaixo da média histórica em grande. De acordo com dados produzidos pelo Cemtec (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul), foram computados nas 28 estações meteorológicas espalhadas por todas as regiões do Estado, 2.529,4 milímetros de chuvas no primeiro mês do ano. O histórico para este mês, segundo dados do Cemtec, é de 5.771,7 milímetros.

A estiagem levou prejuízo às lavouras de soja e pastagens de Miranda e Bodoquena. Segundo o sindicato rural que abrange os dois municípios, os produtores já amargam uma perda de 40% nos dez mil hectares de lavouras existentes na região.

Para o outono, a expectativa é de que as chuvas fiquem dentro da média histórica na maior parte do Estado, de acordo com informações da meteorologista Cátia Braga, do Cemtec (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos). Ela explica que a estação é um período de transição entre o verão e inverno, por isso verificam-se características de ambas estações, ou seja, mudanças rápidas nas condições de tempo, maior frequência de nevoeiros e registros de geadas em locais serranos de algumas regiões do país.

Por isso, mesmo faltando 15 dias para o início do outono, já é possível sentir uma leve queda na temperatura em alguns períodos do dia. Algumas tardes desta semana foram chuvosas e a previsão é de que o quadro se repita até a próxima semana, com pancadas de chuva isoladas a qualquer hora do dia e temperaturas amenas à noite, variando entre 20ºC e 23ºC.

No domingo, (8) aumenta a instabilidade no centro, sul e sudeste do estado, com ligeiro declínio de temperatura e aumento dos totais acumulados de chuva, uma característica do outono. Essas mudanças repentinas, porém, não configuram entradas de frentes frias, segundo explica Cátias Braga. "As frentes estão acontecendo apenas no sul do país. Elas acabam refletindo aqui, mas são originárias da região sul", 

Outra característica do outono são os chamados veranicos, que são períodos com tempo mínimo de quatro dias caracterizados por uma estiagem, acompanhada por calor intenso, forte insolação e baixa umidade relativa do ar em plena estação fria.  

Ainda sobre o volume de chuvas, Cátia explica que na próxima estação será possível notar uma redução das chuvas na maior parte de Mato Grosso do Sul, porém nos municípios do centro sul o volume deve ficar acima da média histórica. É o que deve ocorrer em cidades como Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru.  A meteorologista diz que em Amambai, por exemplo, a média histórica para março é de 133,6 milímetros, mas que deve chover 35% acima desse índice. 

Em Ponta Porã, onde a média é de 168,3 milímetros, o volume deve crescer 30%. As chuvas excessivas nessa região são ocasionadas pela entrada de frentes frias que, aliás começam a chegar no Estado na última semana de março.

Já Campo Grande deve se manter na média de 151,5 milímetros. A tendência, inclusive, é de queda nesse volume na Capital. A expectativa para abril é de 116,5 e para maio de 96,6 milímetros. 

Temperaturas - Já quanto as temperaturas, a previsão é de que a média das máximas gire em torno de 29.8ºC (Campo Grande) e 36.3C em Aquidauana. Os índices altos são devido aos sistemas de alta pressão, que ainda ocasionam dias com altas temperaturas até a chegada do inverno. A média das mínimas ficará entre 19ºC (Ponta Porã) e 21ºC (Dourados). 

No entanto, a entrada de frentes frias a partir do dia 20 podem derrubar essas temperaturas bruscamente. Em Campo Grande, por exemplo, elas podem chegar a 15ºC. Cátia explica que ano passado, nessa mesma época, as mínimas chegaram a 12,8ºC em Sete Quedas.

O mesmo quadro será registrado em parte do Centro-Oeste, onde as temperaturas também se tornarão mais amenas devido à entrada de massas de ar frio, com temperaturas mínimas que variam entre 12ºC a 18ºC, chegando a valores inferiores a 10ºC nas regiões serranas. Nestas mesmas áreas, as temperaturas máximas oscilam entre 18ºC e 28ºC.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions