A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

19/03/2014 09:33

Projeto de “cartorião” abre polêmica entre TJ e sindicato de servidores

Aline dos Santos
Proposta do TJ é centralizar trabalho em cartório na Capital. (Foto: Arquivo)Proposta do TJ é centralizar trabalho em cartório na Capital. (Foto: Arquivo)

Com a proposta de criar um “cartorião”, o projeto 007/2014 coloca em rota de colisão o TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) e o Sindijus (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário).

A proposta do Poder Judiciário, que tramita desde 11 de fevereiro na Assembleia Legislativa, é instituir a CPE (Central de Processamento Eletrônico de Feitos Judiciais). O projeto ainda cria a Secretaria Judiciária de Primeiro Grau. Antes de seguir para o Legislativo Estadual, a proposta foi aprovada pelo Tribunal Pleno.

Entre os servidores, a CPE foi apelidada de “cartorião”. Segundo o presidente do Sindijus, Clodoir Fernandes Vargas, a centralização deve diminuir o fluxo de processo em algumas comarcas, resultando em desativação.

"Preocupa um projeto dessa magnitude”, afirma. A direção do sindicato procurou os deputados estaduais e pede a realização de uma audiência pública para consulta à sociedade, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e Ministério Público. Segundo ele, com a desativação de comarca, os servidores terão que ser removidos.

Após reunião nesta semana com o presidente do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), Joenildo de Sousa Chaves, a tramitação do projeto foi suspensa. "Vamos marcar uma reunião, provavelmente no dia 29, para explicar o projeto aos servidores", diz o presidente do Sindijus. 

Conforme o projeto encaminhado à Assembleia, “a proposta tem como objetivo otimizar a utilização de mão de obra, concentrando em um único local dividido por coordenadorias especializadas, a realização de tarefas de todos os cartórios judiciais do Estado, com exceção daquelas que exijam atendimento pessoal”.

A CPE foi testada em um projeto piloto e é anunciada como uma das marcas da administração 2013/2014. No teste inicial, a proposta, idealizada pelo juiz auxiliar da presidência, Vitor Luis de Oliveira Guibo, foi implantado com 15 servidores. Eles trabalharam, especificamente, com cálculo de pena, controle de prazo e expedição.

Conforme a assessoria de imprensa do tribunal, a centralização do processamento permite a padronização do procedimento de trabalho, a uniformização de modelos, foco na execução de processos, especialização na execução dos trabalhos, segurança para o servidor, redução de custos para a administração e, principalmente, mais produtividade do servidor.



Me engana que eu gosto:
Uma das pretensões deste "projeto" de "otimização" de mão de obra é transformar o Poder Judiciário/MS em um CALL CENTER DA JUSTIÇA, culminado com o fim do concurso público para servidores: e a medida que vão se aposentando, os cargos seriam extintos.
- A CPE seria centralizada na capital, com isso, muitas comarcas seriam desativadas prejudicando milhares de servidores e suas familias.
- A SERVENTIA - (Cartórios, e Oficiais de Justiça, etc) seriam terceirizados.
- Só existiriam os magistrados e sua assessoria (claro)
Essa é o principal escopo, nefasto e sórdido deste projeto: acabar com o Trabalhador do Poder Judiciário.
- NÃO SEI PORQUE TANTO ÓDIO .
ESTUDEM !!
 
sergioroberto azambuja spengler em 19/03/2014 10:33:34
Acho que o sindicato deveria se preocupar mais e melhor com outros assuntos de real interesse do servidor,como que fazer com a grana da contribuição sindical desse mês (ferro); Isso aí,é favas contadas,tal qual foi a cassação do Bernal;é só embromation e questão de tempo; Se não foi convidado a dar sugestões na hora da formulação da engenhoca,não será agora que vão querer palpitar o projeto; A OAB que deveria estar preocupada ou não nem se quer manifestou qualquer nota; Pura enrolação,já já coisa passa e sobrará a cara de tacho.Ué,Ué.
 
anderson roque martinez dos santos em 19/03/2014 09:57:52
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions