A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

05/09/2013 10:28

Suspeitos de executar delegado monitoraram vítima por 10 horas

Edivaldo Bitencourt e Graziela Rezende
Suspeitos chegam para serem apresentados no Garras (Foto: Marcos Ermínio)Suspeitos chegam para serem apresentados no Garras (Foto: Marcos Ermínio)

Os três suspeitos de executar a tiros o delegado aposentado e professor universitário Paulo Magalhães Araújo, 57 anos, no dia 25 de junho deste ano, monitoraram a vítima por pouco mais de 10 horas. Segundo a polícia, os pistoleiros usaram uma motocicleta e um automóvel para acompanhar o delegado das 7h14 até às 17h30 no dia do crime.

Neste momento, a força-tarefa da Polícia Civil, criada para investigar o crime, apresenta os dois suspeitos pelo crime: o guarda municipal José Moreira Freires, o Zezinho, 40 anos, e Antônio Benitez Cristaldo, 37. O terceiro envolvido, Rafael Leonardo dos Santos, 29 anos, está foragido.

Conforme as investigações da polícia, os acusados pelo crime usaram uma motocicleta Honda CG 300 e um Fiat Palio preto para monitorar Paulo Magalhães. Eles acompanharam o delegado desde às 7h14 da manhã do dia 25 de junho até o momento da execução, às 17h30, no Jardim dos Estados, quando ele ia buscar a filha na escola.

O advogado Renê Siufi pediu ao Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Assalto de Banco, Roubo e Sequestro) a não apresentação dos suspeitos, apenas a divulgação de fotografias.

Segundo os delegados Alberto Vieira Rossi e o Edilson dos Santos Silva, respectivamente do Garras e da Delegacia de Homicídios, os três envolvidos pelo crime não possuíam qualquer relação ou vínculo com o delegado assassinado.

Apesar dos indícios de crime de pistolagem, a Polícia não deve divulgar hoje quem foram os mandantes do assassinato. Os dois envolvidos no crime presos negam qualquer participação.

Zezinho ao chegar ao Garras reafirmou, em entrevista rápida, que não tem nenhuma relação com a execução de Paulo Magalhães.

Polícia conclui inquérito sobre morte de delegado e apresenta pistoleiros
A Polícia Civil realiza amanhã, às 10h, uma entrevista coletiva na sede do Garras (Grupo Armado de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros...
Polícia promete apresentar na quinta desfecho sobre morte de delegado
Já está marcada para quinta-feira (5), a coletiva para falar a respeito das investigações do assassinato do delegado Paulo Magalhães Araújo, 57 anos,...
Delegado consegue liminar na Justiça para não ser transferido
O delegado Márcio Rogério Faria Custódio conseguiu liminar na Justiça para suspender os efeitos da Portaria da DGPC nº 336, de 11 de julho de 2013, q...


Oh! Ismael Santos,vc não entendeu...a reportagem quis dizer que eles (os acusados) não tinham vínculo ou relação com o Delegado (enquanto vivo). Não é com a morte ou assassinato do delegado, isso é lógico que ele tem relação, tanto é que estão presos. Presta atenção Ismael!!!
 
Romeu Mendes em 05/09/2013 18:02:44
Estão falando que não tem provas suficiente para mantê-los presos, cadê a moto e a arma do crime? E esse ''tal'' veículo que estava dando apoio cadê? E o terceiro envolvido? Campo Grande é cheia de câmera e nenhuma tava funcionando nesse dia?
Dizem que tiraram o sigilo da conta bancária e do telefone desses caras e não acharam nada, quem será mesmo o assassino do crime? Do jeito que tá a policia hoje em dia aposto que foram eles mesmo e querem usar esses manés como ''laranjas''. Essa história ta muito mal contada, eles chegaram nesses caras por meio de denuncia anônima? Cadê as provas reais que eles estão envolvidos? A população quer ter provas concretas e até agora tudo que ta saindo na mídia é SUPOSIÇÃO.

 
Carol Silveira em 05/09/2013 16:52:23
ahhhhhhhhhh não me diga,, preze por sua credibilidade PC, nós queremos saber quem são os mandantes, bota a PF ai mermão, cade o MP da PEC 37??
 
Amaraildo Cruz em 05/09/2013 16:02:58
Puxa...os guardas municipais nem devem pedir aumento de salário... contratando esse dotô ai... ele tem mt "trânsito..." só entra em casos a pedidos de peixes gráudos, bem graúdos mesmo.
 
Sílvio Nord em 05/09/2013 15:32:24
Ismael Santos,

A reportagem diz que segundo os delegados Alberto Vieira Rossi e o Edilson dos Santos Silva, os três envolvidos pelo crime não possuíam qualquer relação ou vínculo com o delegado assassinado, ou seja, não conheciam o delegado. Isso não quer dizer que não foram eles que assassinaram o delegado.
 
Leandro Gomes em 05/09/2013 14:54:04
Duvideidó que irão "descobrir" quem mandou...não sei por que marcaram coletiva, apenas para divulgar o que um monte de reporte investigativo ja tinha divulgado..vergonha policia civil...por isso cada vez mais vou defender poder ao ministerio publico....esse caso é parecido com o jogo do bicho investigado pela pc, so prendem os apontadores, mas nunca "descobriram" quem é o dono...kkkkkkkkk, virou piada essa nossa policia. ..Obrigado por nada.
 
Marilda Ramos em 05/09/2013 14:25:03
A sociedade Sul Matogrossense, quer sabero do super (G) que mandou matar chega de tampa fusor...Justiça a todos cadeia aos mandantes.
 
Almiro f. de souza em 05/09/2013 12:38:37
esta história é tão estranha que nem a foto dos acusados foi divulgada.e sabe quando vão descobrir quem mandou?NUNCA.
 
Carlos Henrique em 05/09/2013 12:27:44
Agora começa o teatro, os próprios delegados que prendem três suspeitos dizem que eles não tem nenhuma relação com a morte do ex delegado. Será que eu entendi essa noticia ou eu sou muito burro.
 
ismael santos em 05/09/2013 11:50:29
A população quer saber quem é ou quem são os verdadeiros assassinos, ou seja, quem mandou matar?????
 
Hudson Costa em 05/09/2013 11:31:41
Excelente trabalho, agora é importante que os mandantes sejam desmascarados e indiciados, julgados e condenados. Será que isso pode respingar em autoridade da Justiça Federal???
 
Ana cardoso em 05/09/2013 11:27:28
A lista "dos prováveis suspeitos de serem os mandantes" (no singular ou no plural) passa por membros da Polícia Federal, do MPF e do Poder Judiciário e seu prováveis associados sem cargo público. Vamos ver se o assassinato covarde de um dos membros da Polícia Civil faz com ela estabeleça um novo paradigma e realmente coloque algum destes bandidos poderosos em evidência.
Pois no brasil temos a ditadura dos servidores em altos cargos públicos e não a ditadura dos políticos como alguns pensam erroneamente.Se um delegado "erra" inicialmente na investigação, invalida todo o processo apuratório, o que pode reverter na fase processual na liberdade do criminoso ou na condenação de um inocente. Tudo, é claro, com o beneplácito dos poderosos.
 
valdemir ribeiro albuquerque em 05/09/2013 10:58:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions