A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

16/08/2012 09:50

UFMS deve emitir documentos gratuitamente, decide Justiça

Paula Maciulevicius

A decisão é liminar mas deve ser acatada imediatamente. O MPF pede que em um ano, as certidões sejam fornecidas pela internet

Os valores atualmente cobrados pela UFMS para emissão de documentos foram atualizados por resolução e chegam a custar R$ 50. (Foto: Arquivo/Marcelo Victor)Os valores atualmente cobrados pela UFMS para emissão de documentos foram atualizados por resolução e chegam a custar R$ 50. (Foto: Arquivo/Marcelo Victor)

A Justiça Federal acatou o pedido do MPF (Ministério Público Federal) e determinou que certidões de conclusão de curso, declarações de matrícula, registro de diplomas, histórico escolar, atestado de matrícula e frequência sejam emitidos aos acadêmicos da UFMS de graça.

Por meio de liminar, a Justiça determinou a interrupção da cobrança, que em alguns casos chega a R$ 50 por documento.

Na ação judicial, o MPF argumentou que a cobrança fere a Constituição Federal, que determina a gratuidade do ensino público, além de ser contrária à posição do Conselho Nacional de Educação.

Os valores atualmente cobrados pela UFMS para emissão de documentos foram atualizados pela Resolução n° 54, de 29 de dezembro de 2008. A Universidade não disponibiliza em sua página na internet certidões digitalmente autenticadas. Somente alguns documentos são fornecidos, mas não são autenticados, o que anula a validade.

O MPF já havia recomendado à UFMS o fim das cobranças, em fevereiro de 2009. A Instituição não acatou, argumentando que possui autonomia financeira e que o orçamento sofreria impacto. Mesmo com orçamento anual de R$ 370 milhões.

A Universidade tem o 3º maior orçamento de Mato Grosso do Sul, ficando atrás apenas do Governo do Estado e da prefeitura de Campo Grande. Segundo o site transparência pública do Governo Federal.

O MPF alega que a cobrança é abusiva e ilegal e que o argumento orçamentário não se sustenta. A decisão judicial reforça que o montante destinado anualmente à universidade é um dos maiores do Estado. E nem que não fosse, compete ao gestor da instituição buscar a complementação para adequação de seu orçamento, não podendo repassar aos estudantes o ônus pela insuficiência orçamentária, alegada pela UFMS.

A decisão é liminar mas deve ser acatada imediatamente. No julgamento do mérito da ação, que não tem data para acontecer, o MPF pede ainda que a Justiça determine em um ano o fornecimento das certidões diretamente pela internet, com certificação digital de autenticidade.

Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions