A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 29 de Maio de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


21/07/2014 09:03

Candidatos saíram do ar, mas atrações ainda marcam presença

Reinaldo Rosa
Deborah Secco estará no papel de comissária de bordo muambeiraDeborah Secco estará no papel de comissária de bordo muambeira

VC NA COLUNA – “Quanto ao tópico "Dá o que falar", eu pergunto ao titular da coluna se seria apenas o futebol do Estado que tem qualidade discutível? Como foi a participação da Seleção do Brasil na recém encerrada Copa do Mundo, ocasião em que amargou-se a maior goleada - 7 x 1 contra a Alemanha, não custa nada recordar - , ocasião em que não apresentou nada. E qual é a atual colocação do Flamengo, também no atual Campeonato Brasileiro? Ele que em 1981, foi Campeão Mundial. Então, pelos simples exemplos citados por mim, não é apenas o futebol do Estado que tem qualidade discutível. Tenho dito e repito.. é o futebol brasileiro que está nivelado e por baixo; que não tem mais qualidade, apenas isso! Não sou expert no assunto. Mas gostaria de uma discussão”. (Gilson Giordano)

R DO R – Este espaço não discute a prática do futebol; existem bons cronistas esportivos no Estado para fazê-lo. O foco da discussão refere-se à forma como ele é administrado neste Mato Grosso do Sul. O engrandecimento do futebol local obterá resultados positivos a partir de questionamentos deste item. Simples assim.

LONG LONG TIME A GO – Desde 1989 a Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul está – literalmente - nas mãos de uma mesma pessoa. O total de clubes que surgiram é quase idêntico aos que sucumbiram. Futebol sul-mato-grossense vive de história; triste história que presidentes de clubes que, não se sabe por que, (apenas desconfia-se) o reelegem por tão vasto período. Eleito e eleitores escrevem as páginas do que observamos nas entrelinhas das quatro linhas deste popular esporte local.

JOGANDO CONVERSA – Flamengo ocupa a lanterna do campeonato brasileiro da serie A. Representante de Mato Grosso do Sul é derrotado na serie D. A dicotomia do abecê da divisão de categorias imposta pela CBF em nada nos engrandece. Fica a desautorização de comparações com a situação de outros clubes brasileiros. A discussão é outra.

DEU ÁGUA – Legisladores inquilinos de espaço em emissoras de rádio puxaram o freio de mão. Ante resultados de audiência de seus ‘programas’, acharam por bem não se aventurar na atual campanha eleitoral.

LEMBRETE – Os mesmos inquilinos saíram do ar – por força de lei eleitoral - mas suas atrações continuam no ar. É a forma encontrada de continuar marcando presença na memória do eleitor; vacilo das regras do Tribunal Superior Eleitoral em detrimento da maioria de candidatos que não contaram com tal subterfúgio (de locação de espaço na mídia).

PRÓXIMA ATRAÇÃO – “Ccadnm as primeiras gravações de "Boogie Oogie", na Globo, correndo soltas, alguns atores já começam a se destacar e chamar atenção pelos seus desempenhos. São bem os casos de Deborah Secco, no papel de comissária de bordo muambeira – já se fala como um dos seus melhores nas novelas, e Marco Pigossi, que será disputado por Isis Valverde e Bianca Bin”. Flávio Ricco Uol.

 

Rádio esbanja potência, mas com público restrito
O ELO – No Brasil todo está disseminada a prática de terceirização de espaços na comunicação falada. Cronistas do rádio esportivo ficam à mercê do bo...
O bagunçado e voraz mercado local das rádios
SENHORES PASSAGEIROS – Nivaldo Mota, João Flores, Miltinho Viana e Marcelo Nunes têm algo em comum. Foram revelados para o rádio de MS originários do...
Sem novas ideias, rádio de MS definha
SINTONIA GROSSA – Tratado como penduricalho de informações oficiais, o rádio de Mato Grosso do Sul definha por não renovar estratégias comerciais de ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions