ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  08    CAMPO GRANDE 20º

De olho na TV

Candidatos saíram do ar, mas atrações ainda marcam presença

Por Reinaldo Rosa | 21/07/2014 09:03
Deborah Secco estará no papel de comissária de bordo muambeira
Deborah Secco estará no papel de comissária de bordo muambeira

VC NA COLUNA – “Quanto ao tópico "Dá o que falar", eu pergunto ao titular da coluna se seria apenas o futebol do Estado que tem qualidade discutível? Como foi a participação da Seleção do Brasil na recém encerrada Copa do Mundo, ocasião em que amargou-se a maior goleada - 7 x 1 contra a Alemanha, não custa nada recordar - , ocasião em que não apresentou nada. E qual é a atual colocação do Flamengo, também no atual Campeonato Brasileiro? Ele que em 1981, foi Campeão Mundial. Então, pelos simples exemplos citados por mim, não é apenas o futebol do Estado que tem qualidade discutível. Tenho dito e repito.. é o futebol brasileiro que está nivelado e por baixo; que não tem mais qualidade, apenas isso! Não sou expert no assunto. Mas gostaria de uma discussão”. (Gilson Giordano)

R DO R – Este espaço não discute a prática do futebol; existem bons cronistas esportivos no Estado para fazê-lo. O foco da discussão refere-se à forma como ele é administrado neste Mato Grosso do Sul. O engrandecimento do futebol local obterá resultados positivos a partir de questionamentos deste item. Simples assim.

LONG LONG TIME A GO – Desde 1989 a Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul está – literalmente - nas mãos de uma mesma pessoa. O total de clubes que surgiram é quase idêntico aos que sucumbiram. Futebol sul-mato-grossense vive de história; triste história que presidentes de clubes que, não se sabe por que, (apenas desconfia-se) o reelegem por tão vasto período. Eleito e eleitores escrevem as páginas do que observamos nas entrelinhas das quatro linhas deste popular esporte local.

JOGANDO CONVERSA – Flamengo ocupa a lanterna do campeonato brasileiro da serie A. Representante de Mato Grosso do Sul é derrotado na serie D. A dicotomia do abecê da divisão de categorias imposta pela CBF em nada nos engrandece. Fica a desautorização de comparações com a situação de outros clubes brasileiros. A discussão é outra.

DEU ÁGUA – Legisladores inquilinos de espaço em emissoras de rádio puxaram o freio de mão. Ante resultados de audiência de seus ‘programas’, acharam por bem não se aventurar na atual campanha eleitoral.

LEMBRETE – Os mesmos inquilinos saíram do ar – por força de lei eleitoral - mas suas atrações continuam no ar. É a forma encontrada de continuar marcando presença na memória do eleitor; vacilo das regras do Tribunal Superior Eleitoral em detrimento da maioria de candidatos que não contaram com tal subterfúgio (de locação de espaço na mídia).

PRÓXIMA ATRAÇÃO – “Ccadnm as primeiras gravações de "Boogie Oogie", na Globo, correndo soltas, alguns atores já começam a se destacar e chamar atenção pelos seus desempenhos. São bem os casos de Deborah Secco, no papel de comissária de bordo muambeira – já se fala como um dos seus melhores nas novelas, e Marco Pigossi, que será disputado por Isis Valverde e Bianca Bin”. Flávio Ricco Uol.