ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 16º

De olho na TV

Ex-âncora em TV de MS recomeça em nova emissora

Por Reinaldo Rosa | 26/04/2017 10:45

LIMPA – Rede Record, com instabilidade de sempre, busca audiência da forma mais baixa no trato com seus funcionários: demissões. Algumas vitórias de concorrentes no ibope nivelam tomadas de decisões na emissora do bispado paulista. Simples assim.

VOLTA, A MISSÃO – Depois de longo período na TV Morena, Ogg Ibrahim marcou presença em redes nacionais de televisão. Alcançado pela administração da Rede Record, integrou o recente quadro de jornalistas demitidos pela emissora. Está de volta a Mato Grosso do Sul.

FRANCAMENTE – Política, empreendedorismo, economia e desenvolvimento fazem a editoria do ‘Diálogo Aberto’, o matinal domingueiro que Ogg comanda na Rede MS. Com jornalistas convidados, sabatinou o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, em programa que vai ao ar dia 7 de maio.

ONDE ANDA – Para quem perguntou: o radialista Elson Pinheiro continua em férias no ‘Tribuna Livre’, da FM Capital. Descansa carregando pedra na equipe de Ricardo Paredes na Rádio Difusora, ainda AM.

O MURO – Após o fim de festa do campeonato estadual, restará a série D como fonte de trabalho aos heróis da resistência da crônica esportiva local. Ricardo Paredes garante que a equipe fará cobertura da participação do E. C. Comercial na citada disputa.

A PENSAR – Na TV o horizonte é do tamanho da tela. No rádio pode-se imaginar um mundo infinito de coisas na sua cabeça. O processo que une imagem e ação, segundo José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, o rádio é a TV com imaginação.

É ISSO – A força do rádio está na independência do visual. Isso explica, em parte, constantes e acalorados comentários sobre atuação de locutores de futebol através da televisão. Emoção ante o visual dispensa a fala do profissional. Simples assim.

CORRENTE – O primeiro uso que se fez do rádio foi político, porque o veículo alcança todas as camadas da população. Na administração pública, por exemplo, este meio é utilizado como fator de proximidade com o ouvinte e como um utilitário em todos os municípios sul-mato-grossenses. 

ALCANCE E CREDIBILIDADE – Albert Einstein apontou o fascínio com o rádio, pois “em caso de má utilização, poderia ser prejudicial à sociedade”. Demonstração do alcance e credibilidade que o meio tem junto a todas as camadas, sem distinção de raça, credo, idade ou comportamento.

AQUELE ABRAÇO – Carmen Cestari, abraços pela sua data.