ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 20º

De olho na TV

Música de MS segue sem apoio na mídia

Por Reinaldo Rosa | 23/07/2018 10:41

NA ONDA REGIONAL – Retransmissoras regionais de redes de TVs não apostam no atual momento vivido por suas matrizes. A rica música sul-mato-grossense não encontra espaço para maior divulgação em solo sul-mato-grossense.

ARQUIVO MORTO - Na estreiteza de musicais das TVs regionais. a chamada sertaneja –universitária ou não- tem maior projeção. A qualidade presente em sons do Grupo Acaba, Geraldo Espíndola, João Figar, Geraldo Roca e outros instrumentistas são sonoramente esnobados por ‘competentes’ programadores. Simples assim.

NO YOUTUBE – Castelânea, música de Carlos Colman, cantada por João Figar na Praça da Bolivia, em de julho de 2010. Pessoas passeiam em busca de quinquilharias sem parar e observar um dos bons momentos do cantor e repertório genuinamente nosso. De quem é a culpa?

MAOMÉ VAI À MONTANHA – Na estrada da terra, Carlos Colman anuncia show na medida para apreciadores da boa música local. Dia 31 próximo, no Leparole, Euclides da Cunha 1126.

SOU DA GLOBO – Rede Globo preenche espaço deixado pelo fraco ‘Estrêlas’, com Angélica e coloca o ‘Só Toca Top’ no vácuo. No vídeo clip gigante (mais de uma hora) há já espaço para todas as tendências musicais. Desde que sejam de contratados da Som Livre. Simples assim.

VITROLÃO – Redes de TVs abertas descobriram a roda; musicais dão ibope com baixos recursos financeiros. A mesmice das FMs –que “tocam de tudo”- sem critérios de ritmos e tendências, agora está de volta à telinha. Concertos para a Juventude mudou de rumo.

INDELIDADE ESTÁ NO AR - Cunhado transa com cunhada; patrão com empregada negra; ex patrão com serviçal branca; chefe da casa tem filho fora do casamento. Ficção representando a realidade está presente em ‘Segundo Sol’.

ESCOLHAS - Tráfico de drogas; enriquecimento ilícito; sonegação fiscal; filhos que não reconhecem a mãe como tal; ‘casa de tolerância’ a céu aberto; discussão de gêneros. Não há como não contemplar a atenção -e gosto- de algum telespectador.

MELHOR ESTAÇÃO – Ironia a ser aproveitada por que cuida de programações musicais em rádios e retransmissoras de TVs locais. O Facebook tornou-se tubo de manifestações e tendências musicais pessoais. A qualidade impera; mistureba saudável.