ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 15º

De olho na TV

Teoria da conspiração de Bernal

Por Reinaldo Rosa | 06/06/2014 10:48

IN DÚBIO PRO REO – No espaço reservado a partidos políticos na TV e rádio, Alcides Bernal, ainda, tenta convencer de que foi vítima de adversários. Integrantes do PP disputam a tapas a direção da sigla e, enquanto a direção nacional não se manifesta de forma definitiva, o ex-chefe do Executivo da capital destila sua tese conspiratória.

PADRÃO FIFA - Cronistas esportivos do Estado desdobram-se -com talento- para manter programas da crônica no ar. Após discurso de posse de mais um período à frente dos incertos destinos do futebol estadual, o presidente da FFMS prepara-se para o estafante compromisso de assistir aos jogos da Copa Fifa. Vida cruel.

PODRÃO COPA – Notícia sem repercussão na crônica esportiva informa sobre o périplo de times do futebol guaicuru. O Cene, campeão estadual por seis vezes, ameaça ficar fora de disputas futuras por falta de patrocínio. Apoios dirigidos à entidade que congrega participantes das competições são tentáculos que não alcançam protagonistas que ralam e rolam nos campos.

FAZER O QUÊ - Presidente do Sindicato dos Radialistas raciocina que a liberdade de expressão concede o direito a que pessoas sem formação em comunicação ocupem espaço em emissoras de rádio e televisão. Basta arcar com os custos. Simples assim.

ANULE - Privilegiados detentores de mandatos valem-se do dinheiro público para marcar seus nomes, durante os anos que antecedem campanhas eleitorais no rádio e TV. Graças a insípida legislação eleitoral, somente às vésperas do pleito os protagonistas inquilinos têm de sair do ar. A hora está chegando. Quem aproveitou, aproveitou.

TRANSFERE – Resultado de trabalhos comunitários, alguns eleitos mantêm o pessoal linguajar que os caracteriza. À frente de microfones no espaço locado em emissoras de rádio, a despreocupação com o idioma continua e fica por isso mesmo. A qualidade que interfere na imagem da emissora é trocada por uns reais a mais e ponto. Simples assim.

BEM NA HORA - Espécie de arma de extinção em massa da cultura, avançados celulares com seus aplicativos tomaram lugar de livros e outros meios educacionais. Contatos imediatos de primeiro grau por meio do wathsapp são feitos com pequena parcela útil do que a engenhoca proporciona. Músicas (de gosto duvidoso) se sobrepõem a noticiosos. E assim caminha a juventude.

O QUE VER - Os novos programas lançados pela TV Brasil Pantanal merecem maior destaque por parte de quem procura opções televisivas de qualidade. O pacote de atrações voltadas ao áudio visual tem proposta de exibir o que é feito de melhor por profissionais ligados no registro de acontecimentos locais. Sintonia merecida.