A notícia da terra a um clique de você.
 
18/11/2018 08:38

Darwin e Marx: o confronto

Mário Sérgio Lorenzetto
Darwin e Marx: o confronto

Para elaborar sua teoria do materialismo histórico dialético que pudesse explicar tentar mudar a história da humanidade, Karl Marx (1818-1883) "bebeu" de distintas fontes e contatou com diversos pensadores, economistas, políticos, filósofos... Além do mais, para que sua teoria fosse também "científica" levou em conta conhecimentos e avanços nos diversos ramos das ciências da natureza. E, especialmente, as teorias de Darwin (1809-1882). Como podem perceber, os dois viveram na mesma época.

Todavia, a relação de Darwin com Marx nunca foi boa. Dois séculos depois desse "mal estar", a análise atual das relações que tiveram não só é interessante desde o ponto de vista das ciências, como também pode explicar seus desacordos.

Darwin e Marx: o confronto

O interesse de Marx pela ciência darwinista.

Como é amplamente conhecido, no ano de 1859, Charles Darwin publicou "A Origem das Espécies", o que provocou uma enorme reação em diversos setores da sociedade, desde as ciências à religião. As ideias presentes nesse texto suscitaram o interesse de Karl Marx. Seus comentários iniciais mostram que Marx estava de acordo com as ideias de Darwin sobre a evolução dos seres vivos.

Assim, em uma carta datada de 19 de dezembro de 1860, dirigida a seu amigo Friedrich Engels, Marx afirma que o livro de Darwin constitui "o fundamento histórico-natural de nossa concepção". Em outra missiva dirigida ao militante Ferdinand Lassalle, de 16 de janeiro de 1861, conclui que "o livro de Darwin é muito importante e me convêm como base da luta histórica de classes". Mas essa admiração de Marx pelos estudos de Darwin durou pouco tempo.

Em 18 de junho de 1862, em outra carta também dirigida a Engels, Marx ataca diretamente a teoria de Darwin sobre a evolução biológica mediante a atuação da seleção natural atuando a nível dos indivíduos. Marx diz que Darwin "aplica à natureza o modelo vitoriano social" e entende que esse modelo é contrário à luta de classes que defende.

Darwin e Marx: o confronto

Marx admirava o obscuro evolucionista francês Tremaux.

O principal desacordo de Marx com Darwin é expresso em uma carta de agosto de 1866 dirigida a Engels em que assinala que a obra de um evolucionista francês dessa época, Pierre Tremaux, supõe um importante avanço sobre a de Darwin. Se trata de um livro intitulado - e totalmente desconhecido - "Origem e transformação do homem e de outros seres", publicado em 1865 que defendia aspectos da evolução que Darwin não estava de acordo. Tremaux dizia que as grandes mudanças tinham um papel fundamental na evolução dos seres vivos, como também afirmava que ao longo da evolução dos seres vivos tinha ocorrido um aumento do progresso. Era tudo que Marx necessitava para firmar que seu materialismo histórico era "científico". Darwin, como a quase totalidade dos evolucionistas de sua época e de agora, pensava que na evolução dos seres vivos a maioria das mudanças são graduais e que não produzem um aumento do progresso.

Darwin e Marx: o confronto

Darwin e as "ideias descabeladas" do marxismo.

A opinião de Darwin sobre a obra de Marx foi expressa quando ocorreu o único contato direto entre eles. Quando Marx publicou seu "O Capital", enviou o livro a Darwin. De fato, Darwin não chegou a abrir o livro de Marx. Nunca o leu. Mas nunca aceitou relacionar-se com o comunista, sempre se mostrou reticente com suas ideias. Assim o expressa em uma carta de 26 de dezembro de 1879 enviada para o naturalista e diplomata Karl von Scherzer em que diz: "a ideia de alguns socialistas alemães de fundir o socialismo e a evolução mediante a seleção natural parece uma ideia descabelada".

Darwin e Marx: o confronto

A religião: o ponto final do desencontro.

O aspecto que mais distância colocava entre Darwin e Marx é a religião. Marx expressou claramente sua ideia contra a religião que chamava de "ópio do povo". E posteriormente os marxistas secundaram essa ideia. Darwin, por sua vez, era totalmente contrário aos ataques a religião em uma carta que durante muito tempo todos acreditaram que tinha sido dirigida a Marx. Em verdade, essa carta defendendo a religião fora dirigida a Edward B.Aveling que era amante de Jenny Eleanor, uma das filhas de Marx e que fora a depositária dos arquivo de Aveling. Esse arquivos acabaram se misturando com os de Marx, criando a suspeição de que Darwin havia enviado a carta para Marx. Assim como os marxistas deram sequência aos ataques à religião, os darwinistas também passaram os séculos defendendo o direito à religião.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.