ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SÁBADO  20    CAMPO GRANDE 30º

Ensinar Juntos

Vamos calçar as sandálias da humildade?

Por Carlos Alberto Rezende (*) | 25/03/2024 15:33

Todo mundo já leu ou ouviu a seguinte expressão: "Humildade é a virtude dos sábios, já arrogância quase sempre caminha lado a lado da ignorância." Humildade e sabedoria são características diferentes, mas podem estar interligadas. Enquanto a humildade geralmente se refere a ter uma atitude modesta e não se considerar superior aos outros, a sabedoria envolve ter conhecimento, discernimento e a capacidade de tomar decisões sensatas. No entanto, é comum que pessoas sábias também sejam humildes, uma vez que a verdadeira sabedoria, muitas vezes, traz consigo a compreensão da própria limitação e a disposição de aprender com os outros. Portanto, embora não sejam sinônimos, a humildade e a sabedoria podem andar de mãos dadas.

A verdadeira sabedoria carrega consigo a compreensão da própria limitação e a humildade para reconhecer que ainda há muito a aprender. Pessoas sábias costumam valorizar a experiência e o conhecimento dos outros, sabendo que a sabedoria não é estática e que sempre há espaço para crescimento. Além disso, a humildade permite que os sábios se relacionem melhor com os outros, pois estão dispostos a ouvir e considerar diferentes pontos de vista. No entanto, é importante ressaltar que nem toda pessoa humilde é necessariamente sábia, e nem toda pessoa sábia é necessariamente humilde. Essa frase evoca uma ideia filosófica bastante conhecida, que sugere que quanto mais aprendemos, mais conscientes nos tornamos da vastidão do que não sabemos. Isso está ligado a uma visão socrática, onde Sócrates, um filósofo grego antigo, afirmava saber que nada sabia, indicando um profundo reconhecimento da limitação do conhecimento humano frente à imensidão do desconhecido.

Mas como ensinar as crianças a serem humildes?

A humildade é um dos valores essenciais na educação e formação das crianças. Ser humilde significa sentir respeito em relação aos outros, não desvalorizar ninguém e nem se considerar superior, e, sobretudo, ter uma atitude permanente de aprendizado. A principal maneira de ensinar as crianças a serem humildes é com exemplos e situações reais dessa palavra tão abstrata, pois se você tentar falar de humildade à uma criança, o mais lógico é que ela não entenda.

A palavra humildade, que vem do latim, significa ‘reconhecer as limitações de si mesmo’, ou seja, reconhecer os seus erros e fraquezas. Concentre-se todos os dias no que você faz; devemos reconhecer os nossos próprios erros e pedir desculpas quando falharmos, pois, dessa forma, as crianças assumirão esse ato como natural e irão incorporá-lo ao seu repertório de comportamentos. Do mesmo modo, devemos lembrá-las de que pedir ajuda é adequado e benéfico.

Quem é humilde costuma reunir outras virtudes, como sabedoria, nobreza, tolerância, gentileza e gratidão. Não se acha nem melhor nem pior do que ninguém; simplesmente age de forma cordial e respeitosa com todos, do mais simples operário às mais altas autoridades dos poderes de um país.

“É difícil ser humilde”, diz uma velha música, “quando se é perfeito de todos os jeitos”. É claro, poucas pessoas acham que são perfeitas em tudo, mas ainda pode ser bastante difícil ser humilde, especialmente se você vive numa sociedade que encoraja a competição e a individualidade acelerada pela tecnologia. Ainda assim, mesmo em tal cultura, a humildade continua sendo uma importante virtude. Aprender a ser humilde é de suma importância na maioria das tradições espirituais; acima de tudo, a humildade pode ajudá-lo a desenvolver relacionamentos mais completos e ricos com os outros. É essencial admitir que você não é melhor em tudo ou em qualquer coisa, independentemente do quão talentoso você seja, sempre haverá alguém melhor em algum aspecto.

Não tenha medo de cometer erros. Parte de ser humilde é compreender que você cometerá erros. Admitir seus erros fará com que as pessoas o respeitem ainda mais, independentemente de elas serem seus filhos, suas filhas ou seus colegas. Evite se gabar; não fale de quão incríveis são suas conquistas, já que se você é realmente bom, as outras pessoas reconhecem seus esforços e o elogiarão por eles.

Seja compreensivo ao conversar; pessoas humildes não precisam deixar de mostrar alguma autoestima, ela deve prestar atenção em todas as pessoas em uma conversa e não deve interromper ou subestimar ninguém. Reconheça suas próprias culpas, pratique empatia e gratidão. Compartilhe o respeito e o amor ao próximo.

E aí? Bora praticar humildade?!

 (*) Carlos Alberto Rezende é conhecido como Professor Carlão.

Nos siga no Google Notícias