A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

10/08/2011 17:12

Após apagão que deixou 19 mil sem luz, Enersul diz que sistema vai bem

Marta Ferreira

Empresa afirma que tem um dos mais baixos índices de falta de energia no País

Edmir Bosso, diretor de Operações da Enersul: índices de interrupção de energia são favoráveis. (Fotos: Pedro Peralta)Edmir Bosso, diretor de Operações da Enersul: índices de interrupção de energia são favoráveis. (Fotos: Pedro Peralta)

No último sábado, 19 mil moradores de Campo Grande ficaram sem energia por 47 minutos, após um problema na subestação que faz a distribuição para a região central, localizada na avenida Ernesto Geisel. A interrupção, mesmo que localizada, chamou a atenção para um fantasma que ainda persegue os clientes do setor elétrico, o medo de, de repente, ficar por horas sem o insumo básico para a economia da cidade e a vida das pessoas.

“Falta de luz prejudica toda a economia e é uma preocupação constante”, define o presidente do Conselho dos Consumidores da Enersul, empresa que abastece 73 dos 78 municípios de Mato Grosso do Sul, o presidente Fecomércio (Federação do Comércio de MS), Edison Araújo

De acordo com ele, a entidade acompanha as informações sobre interrupções e recebe relatórios frequentes da Enersul. O problema ocorrido no sábado, conforme a empresa, foi resolvido em 14 minutos para 60% dos consumidores atingidos.

A empresa diz que o risco de apagões como os que ocorreram em anos anteriores inexiste e afirma que, entre as concessionárias do setor tem um dos melhores índices de qualidade no fornecimento de energia elétrica.

O dado mais recente, do ano passado, mostra que a empresa ficou abaixo do limite estabelecido pela Aneel ( Agência Nacional de Energia Elétrica) para as interrupções do fornecimento. São dois referenciais, o DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidor) indica o tempo de duração, por unidade consumidora, das interrupções, e o FEC (Freqüência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora).

O DEC da Enersul no ano passado foi de 10, ou seja, 10 horas contabilizadas de falta de energia, o menor valor entre as empresas do Centro-Oeste. Já o FEC foi de 7, o que significa que, em média, cada unidade consumidora registrou falta de energia em 7 ocasiões. Esse índice é também o menor das empresas do setor no Centro-Oeste.

“Temos índices mais baixos, inclusive, do que a capital federal, Brasília, onde a rede é subterrânea e não há risco de árvores, ou até animais, atrapalharem a distribuição”, afirma o diretor de Operações da Enersul, Edmir Bosso.

Ele diz que o fator tempo conta muito e, este ano, o primeiro trimestre foi bastante complicado em Mato Grosso do Sul, por causa das chuvas intensas, muitas vezes acompanhadas de raio.

Bosso afirma que os índices só fechados agora em dezembro. O limite da empresa este ano é de DEC de 14,73 de DEC e 12,34 de FEC, como estabeleceu a Aneel.

Proteção e não problema - Indagado sobre as reclamações de clientes sobre oscilações na corrente elétrica, o diretor de Operações diz que elas, na verdade, são uma proteção do sistema para evitar problemas maiores.

Ele explicou que isso ocorre graças à atuação dos religadores, peças existentes nas estações de distribuição de energia. Quando um problema é identificado na rede, afirma, essa peça age como uma espécie de defesa, desligando automaticamente o sistema.

O religador, segundo a explicação dos técnicos da Enersul, faz “testes” por três vezes para tentar ao funcionamento normal e se o problema continua sendo identificado, o equipamento deixa de tentar fazer uma nova ligação do sistema e o centro que controla o funcionamento da rede é acionado para corrigir o problema.

O diretor afirma que o sistema que abastece Mato Grosso do Sul, que tem como principais fontes as usinas de Jupiá e Sérgio Motta, está trabalhando dentro da capacidade, tanto que a usina termelétrica Willian Arjona, não está sendo acionada pelo NOS (Operador do Sistema Nacional).

A Enersul tem 810 mil clientes em Mato Grosso do Sul e, conforme o diretor, fez investimentos de R$ 1,6 bilhão desde que foi privatizada, em 1998.

Centro onde técnicos acompanham o sistema de distribuição de energia da Enersul, em Campo Grande.Centro onde técnicos acompanham o sistema de distribuição de energia da Enersul, em Campo Grande.
No Procon, reclamações contra a Enersul dobraram no 1º semestre
A Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul) motivou, de janeiro a julho deste ano, 372 reclamações de clientes ao Procon em Campo Grande. Es...
Inflação do aluguel acumula queda de 0,34% em 12 meses
Usado no reajuste de aluguéis, o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) acumula deflação (queda de preços) de 0,34% em 12 meses, de acordo com a se...
Sétimo lote do abono salarial 2016 começa a ser pago hoje
Quase 3,6 milhões de trabalhadores da iniciativa privada nascidos em janeiro e fevereiro e de servidores públicos com inscrição de final 5 podem saca...


Há 3 meses estourou um transformador na minha rua e fiquei sem energia por mais de uma hora. Quando voltou, vários equipamentos que estavam funcionando ou apenas ligados à tomada queimaram (tv, DVD, computados, máquina de lavar roupa)... Tive que reclamar várias vezes para finalmente conseguir o ressarcimento dos prejuízos. Na última segunda feira (08/08), novamente a energia acabou no período da manhã. Como cheguei em casa após as 18h, tudo ainda continuava apagado, embora meus vizinhos estivessem com energia. Fiquei uma hora com a atendente da Enersul ao telefone tentando me ajudar a resolver o problema. Quando a luz foi restabelecida, meu micro-ondas estava queimado, além dos equipamentos da tv a cabo e internet. É um grande prejuízo, porque além de perder os equipamentos e aguardar meses pela resolução do problema, nos sentimos desamparados e inseguros, com medo de que o problema ocorra a qq instante. Antes de sair de casa tenho que tirar tudo da tomada, com receio de que o problema ocorra novamente....
 
Danielle Rodrigues em 11/08/2011 07:34:23
A conta de energia é faturada pela energia consumida e não por minuto ou interrupção.
Se ultrapassado o limite de interrupção estabelecido pela ANEEL a empresa seguirá as determinações da Agência Fiscalizadora. A ENERSUL não ultrapassou o limite, e as informações podem ser solicitados por todo cidadão, portanto não há motivos para desconfianças.
 
Ercy Dias em 10/08/2011 11:18:20
Senhor Carlos Damasceno, pense um pouco, se a enersul cobra somente o que você consome, como ela vai dar desconto se durante o apagão você não consumiu nada ?
 
Antonio Gurgel em 10/08/2011 07:05:29
Carlos, sou leigo no assunto mais sei que o consumo não é cobrado por dia e sim por consumo. Ou seja, vc somente paga o que consumir, e não por dia. assim é a água, o telefone, a gasolina, etc, etc.
 
Marcelo Lima em 10/08/2011 06:57:01
QUEM JA FEZ A LEITURA DE UMA CONTA DE LUZ LA VAI ENCONTRAR O SEGUINTE DIAS DE INTERRUPÇÃO "X" DIAS, QUERO VER SE VAO DESCONTAR ESTES MINUTOS QUE FICAMOS SEM ENERGIA, FIQUEM ATENTOS A CONTA DO MES SEGUINTE A ESTE ACIDENTE PESSOAL VAMOS COBRAR NOSSOS DIREITOS!!
 
CARLOS DAMASCENO em 10/08/2011 06:32:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions