A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 22 de Junho de 2017

31/01/2017 13:23

Cidade da fronteira supera Dourados na criação de empregos em 2016

Em comparação com cidades maiores, Ponta Porã fechou o ano com saldo positivo

Renata Volpe Haddad
Comércio e serviços em Ponta Porã se mantiveram aquecidos em 2016. (Foto: Arquivo/ Campo Grande News)Comércio e serviços em Ponta Porã se mantiveram aquecidos em 2016. (Foto: Arquivo/ Campo Grande News)

Situada na fronteira com o Paraguai, Ponta Porã - a 323 km de Campo Grande, se destacou na criação de empregos no ano passado, em comparação com outros dois municípios, - Dourados e Corumbá, cidades bem maiores que o município.

No resultado positivo, foram criadas 155 vagas de trabalho no ano passado, segundo os dados do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), analisados pela empresa Data Sight, ou seja, foram mais contratações do que demissões. Em 2015, na fronteira com o Paraguai, a cidade brasileira demitiu 18 funcionários, apresentando melhora no cenário do mercado de trabalho.

Em contrapartida, em dezembro 64 trabalhadores com carteira assinada do município foram demitidos, sendo 592% maior que o fechamento de vagas em novembro, que foi de 13 demissões. Essas demissões, são principalmente, de funcionários contratados para o período festivo de fim de ano.

As classes que mais empregaram foram: Atividades Associativas não Especificadas (9), Restaurantes e Outros Serviços de Alimentação e Bebidas (4), e Cabeleireiros e Outras Atividades de Tratamento de Beleza (4). Por outro lado, as classes de Ensino Fundamental, Educação Infantil - Pré-Escola, e Hotéis e Similares foram os que apresentaram os piores desempenhos, demitindo 43 pessoas no total. 

Os profissionais mais contratados são os que têm ensino médio completo e médio incompleto. Do total de trabalhadores, 56% foram do sexo masculino e 44% do sexo feminino.

Segunda maior cidade de MS - Dourados teve o pior resultado do ano entre os municípios pesquisados do interior, comparando com Corumbá e Ponta Porã. Em dezembro, o saldo total do trabalho formal nos setores do Comércio e Serviços demitiu 609 funcionários, representado uma variação negativa de 3.682,35% em relação a novembro, que fechou 17 vagas de emprego.

Em Dourados, comércio de tecidos e artigos de cama, se destacou na geração de empregos no ano passado. (Foto: Arquivo/ Campo Grande News)Em Dourados, comércio de tecidos e artigos de cama, se destacou na geração de empregos no ano passado. (Foto: Arquivo/ Campo Grande News)

Em relação ao acumulado do ano, foram fechadas 207 vagas de trabalho, número 28% maior que em 2015, onde foram demitidos 149 funcionários. Pela análise do Data Sight, outro dado divulgado é que os profissionais que mais foram demitidos, são os que têm ensino médio - em 2016, foram 762 demissões.

Na sequência, 228 profissionais com ensino superior completo perderam seus postos de trabalho. No ano, 56% das funcionárias mulheres foram demitidas, contra 44% de homens.

Os setores que mais demitiram, foram: Atividades de Atendimento Hospitalar, Atividades de Organizações Religiosas, Ensino Fundamental, Serviços de Engenharia e Serviços de Assistência Social sem Alojamento.

Em dezembro, 98 trabalhadores de Comércio e Serviços foram demitidos em Corumbá. (Foto: Anderson Gallo/ Diário Corumbaense)Em dezembro, 98 trabalhadores de Comércio e Serviços foram demitidos em Corumbá. (Foto: Anderson Gallo/ Diário Corumbaense)

Corumbá - No mês passado, a cidade branca perdeu 98 postos de trabalho com carteira assinada, nos setores de Comércio e Serviços, aumentando em 18% no número de demissões, se comparado com novembro, quando foram fechadas 83 vagas.

Em relação ao acumulado do ano, foram fechadas 325 vagas, 6% a menos que em 2015, quando 349 funcionários perderam seus empregos. Em Corumbá, profissionais com ensino médio lideram o ranking de demissões. 59% dos homens foram demitidos contra 41% de profissionais do sexo feminino.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions