ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 23º

Economia

Com edital aberto, Nova Ferroeste vai para leilão em setembro na Bolsa

Detalhes do projeto da nova ferrovia estão disponíveís para consulta pública a partir de hoje

Por Gabriela Couto | 21/06/2022 12:24
Secretário de de Estado de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar, Jaime Verruck. (Foto: Kelly Ventorim)
Secretário de de Estado de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar, Jaime Verruck. (Foto: Kelly Ventorim)

Mais um passo importante para a Nova Ferroeste sair do papel foi dado hoje (21), no Palácio Iguaçu, em Curitiba (PR). O governador paranaense, Carlos Roberto Massa Júnior, o Ratinho Junior (PSD) classificou o lançamento do edital de consulta pública da obra como “último capítulo da novela que já dura 20 anos”.

Nos últimos três anos, Mato Grosso do Sul e Paraná trabalham para que o investimento finalmente ocorra. “Os investidores do mundo todo já podem olhar o edital. O total de investimento é de R$ 35 bilhões. Assim que tivermos a licença prévia do Ibama, será publicado em definitivo o edital de leilão na B3. A previsão é que isso aconteça na última quinzena de setembro ou primeira de outubro”, ponderou o secretário de Estado de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, que representou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na ocasião.

Como grande exportador de commodities, a Nova Ferroeste vai ajudar no escoamento da produção saindo de Maracaju (MS) até o Porto de Paranaguá (PR). " Hoje 40% de tudo q exportamos vai para o Porto de Paranaguá, por caminhões. O objetivo é que a gente dê mais competitividade aos produtos do Estado, tanto para atender exportação, mas também somos grande fornecedores de milho e farelo para o Paraná e Santa Catarina, ou seja, vai contribuir para o acesso ao mercado interno”, acrescentou o secretário.

Além de reduzir o custo do transporte, o projeto é um dos mais sustentáveis do mundo. “É uma economia e redução CO2. A cada 100 vagões a economia é de mais de 357 caminhões na estrada. Mato Grosso do Sul tá aceitando esse desafio de aumentar a área de produção e precisa do aporte e logística para escoar”, concluiu Verruck.

A Nova Ferroeste, que terá trecho de 333 quilômetros em solo sul-mato-grossense, passando por oito municípios: Maracaju, Itaporã, Dourados, Caarapó, Amambai, Iguatemi, Eldorado e Mundo Novo. A estimativa é que pelo menos R$ 4,7 bilhões sejam investidos na obra no Estado.

Nos siga no Google Notícias