A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Janeiro de 2019

26/12/2018 17:52

Com “enxugamentos”, Estado anuncia economia de R$ 3 bilhões em 46 meses

Ações abrangeram do cancelamento de serviços à renegociações de contratos e adoção do pregão eletrônico para execução de licitações

Humberto Marques
Titular da SAD, Carlos Alberto Assis afirma que posição do Estado como maior comprador favorece negociações. (Foto: Rejane Monteiro/SAD)Titular da SAD, Carlos Alberto Assis afirma que posição do Estado como maior comprador favorece negociações. (Foto: Rejane Monteiro/SAD)

Ações adotadas pelo governo do Estado para enxugar gastos resultaram, em 46 meses, na economia de R$ 3,1 bilhões ao tesouro sul-mato-grossense. A SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização) informa que, em compra diretas, foram poupados R$ 5 milhões no período. As ações envolveram desde a suspensão de serviços que geravam prejuízos à renegociação de contratos, reduzindo pela metade despesas necessárias para o funcionamento da máquina.

“Organizamos a casa comprando melhor para poder reverter esses recursos que antes eram despendidos somente com custeio da máquina pública. Hoje gastamos menos com o Estado para poder investir nas prioridades do nosso governo que são saúde, educação, segurança pública, sempre com foco nas pessoas”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Titular da SAD, Carlos Alberto Assis afirma que as ações de economia abrangeram diversos setores, incluindo ações polêmicas como a retirada dos ônibus que transportavam servidores em Campo Grande, “uma tradição de quase 20 anos” que era usada por 400 trabalhadores, frente a 3,5 mil usuários do transporte coletivo. O gasto chegava a R$ 4 milhões por ano. Em outro front, a renegociação do contrato de telefonia isentou o Estado do reajuste anual e reduziu em 50% as tarifas; enquanto gastos com emissão de identidades foram reduzidos de R$ 48,60 para R$ 23,19 por unidade.

“Compramos de botão a avião. Nós precisamos valorizar a gestão, uma vez que o Estado é o melhor comprador. Por isso negociamos o melhor preço. Se compramos em maior quantidade, nosso preço tem que ser o mais barato”, disse Assis, que apontou ainda mudanças na forma de realizar licitações, adotando o pregão eletrônico como modo principal de atuação –o novo sistema de compras recebeu o Prêmio Nacional de Boas Práticas de Compras Públicas, sendo ainda certificado pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Da mesma forma, a SAD anunciou aumento de 23% para 51% da participação de micro e pequenas empresas nas compras públicas do Estado, que envolveu a realização de capacitações com mais de 600 fornecedores em oficinas em Dourados, Três Lagoas, Corumbá e Campo Grande.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions