A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 20 de Janeiro de 2018

16/12/2010 16:10

Construção civil diz que viveu melhor ano dos últimos tempos em 2010

Agência Brasil

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (Cbic) que o setor registrou o melhor momento da história em 2010. De acorco com balanço divulgado hoje (16), o Produto Interno Bruto (PIB) do setor da construção civil deve crescer 11% em 2010, acima da previsão feita pela entidade no início do ano de crescimento de 9%. O resultado é considerado o melhor dos últimos 24 anos.

Segundo relatório da Cbic, a opção de utilizar a construção civil para “alavancar o desenvolvimento tem importante destaque do ponto de vista socioeconômico, no enfrentamento do déficit habitacional e na superação dos gargalos na infraestrutura”.

O setor gerou 340 mil empregos formais em todo o país só nos primeiros dez meses do ano. O número de trabalhadores com carteira assinada atingiu nível recorde. “Mais de 2,6 milhões, de acordo com a série histórica dos dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego [Caged], inciada em 1992”, informou o relatório.

Outro destaque foi o crédito imobiliário em expansão que, só com recursos da caderneta de poupança, pode ultrapassar R$ 50 bilhões.

O presidente da Cbic, Paulo Safady Simão, destacou os estímulos do governo para o programa Minha Casa, Minha Vida. “Nós vamos fechar o ano com 900 mil unidades contratadas em execução. E o presidente [Lula] anunciou mais 2 milhões [de unidades habitacionais]. Não é à toa o nosso otimismo”. A indústria da construção civil, com nível de utilização da capacidade instalada em 87%, também se comportou bem este ano.

Entre os desafios que o setor precisa enfrentar, foram destacadas a necessidade de aumento dos investimentos em inovação e produtividade; a sustentabilidade dos negócios, com a produção de edificações inteligentes e ambientalmente corretas; e a escassez e o alto custo de terrenos nos grandes centros urbanos. “Nem tudo são rosas e sabemos que temos gargalos e dificuldades. Mas isso faz parte do dia a dia”, enfatizou Paulo Simão.

Paulo Simão defendeu ainda o projeto Sanear é Viver que, segundo ele, depende de uma decisão política do governo federal para ser implementado. “É simples e parece com o Minha Casa, Minha Vida para o saneamento, para atender às famílias de baixa renda com subsídios. É uma vergonha o número que o Brasil apresenta na área de saneamento. Nós estamos matando criança no Brasil por falta de saneamento”, criticou.

Temer assina projeto de lei com regras para privatização da Eletrobras
O governo vai enviar ao Congresso Nacional o projeto de lei (PL) que propõe a privatização da Eletrobras. O texto foi assinado hoje (19) pelo preside...
Bolsa volta a bater recorde e dólar fecha no menor valor em três meses
Em um dia de euforia no mercado financeiro, a bolsa voltou a bater recorde, e a moeda norte-americana fechou no menor valor em três meses. O Índice I...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions