ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 24º

Economia

Consumidores farão protesto contra aumento dos preços dos combustíveis

Por Francisco Júnior | 29/04/2011 09:04

Protesto está agendado para acontecer no próximo dia 9

Criado no Facebook, o movimento “Na Mesma Moeda”, que protesta contra o aumento dos preços dos combustíveis, vem ganhando força em Campo Grande e já programou uma manifestação para o dia 9 na cidade.

A página do movimento na rede social já conta com mais de 1,7 mil participantes. Os manifestantes irão se reunir às 19 horas no estacionamento do Yoteddy, e lá decidirão em quais postos de combustíveis irão protestar.

De acordo com um dos organizadores da ação na Capital, Guilherme Martins, a intenção do movimento é alertar o governo federal que a população não está contente com esse aumento abusivo dos combustíveis no país. “Nós vamos escolher os postos e abastecer apenas R$0,25 de gasolina e pagar com cartão de crédito e débito”, explicou.

“Nossa intenção é atrapalhar o atendimento nos postos. Não queremos prejudicar o dono do posto, mas essa é a forma de chamar a atenção do governo. Vamos colocar nariz de palhaço, cartazes. Vamos fazer um grande buzinaço”, acrescentou.

Ainda não está definido, mas um protesto pode ser realizado neste sábado na Capital. De acordo com Guilherme, os organizadores estão analisando a possibilidade.

Vídeos postados no Youtube mostram os protestos realizados em outras cidades do país. O movimento foi criado em Goiânia (GO) e a primeira manifestação naquela cidade reuniu mais de 30 motoristas. Eles abasteceram seus veículos com R$ 0,50, e ainda exigiram nota fiscal. O posto de combustível ficou lotado e teve o atendimento paralisado.

Ontem (28) o Procon de Mato Grosso do Sul divulgou um levantamento do preços dos combustíveis no postos da Capital.

Conforme a pesquisa, no caso do álcool, o reajuste acumulado desde fevereiro chega a 20%. O preço que era de R$ 1,95 em média há 69 dias, agora é de R$ 2,34, mas pode ser encontrado até por R$ 2,49.

A gasolina comum aumentou somente em dois meses cerca de 10%, custava em média R$ 2,69 e agora está em média R$ 2,96. O valor mais alto encontrado foi de R$ 3,136. A aditivada aumentou um pouco menos, segundo o Procon - 9,5%, com o preço mais caro em R$ 3,187.

Os dados foram coletados na segunda-feira passada e mostram grande variação entre os postos.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse ontem que tem havido abuso nos preços dos combustíveis, especialmente do etanol. Segundo ele, os preços são regulados pelo mercado, mas o governo já acionou o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

Ele espera que, com o aumento da produção de etanol, os preços se regularizem nas próximas semanas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário