ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 26º

Economia

Decreto de emergência sobre lagarta em MS deve sair amanhã

Aline dos Santos | 04/12/2013 13:05

A Seprotur (Secretaria do Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo) aguarda para amanhã a publicação do decreto de emergência fitossanitária em Mato Grosso do Sul. O pedido ao Ministério da Agricultura foi feito na última sexta-feira, após a confirmação da lagarta Helicoverpa armigera em três municípios: Naviraí, São Gabriel do Oeste e Chapadão do Sul.

Com alto poder de reprodução e voracidade, a lagarta é ameaça à soja, um dos principais componentes da economia do Estado. O decreto permite a importação de agrotóxico ainda sem registro no País.

“Não tem motivo para pânico. Montamos um plano de ação e 45% das lagartas têm controle biológico” afirma a titular da Seprotur, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias. O uso indiscriminado de agrotóxico preocupa o presidente da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja), Almir Dalpasquale.

“O difícil é o clima de pânico. O produtor não tem como identificar qual é a raça [da lagarta], aplicando inseticida e eliminando até os inimigos naturais”, afirma.

Para o presidente da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária), Eduardo Riedel, ainda é cedo para mensurar o impacto da nova praga. “Temos que observar a evolução”.

Ontem, por meio da assessoria de imprensa, o ministério informou que o pedido de emergência foi feito apenas por email, mas precisava ser protocolado. O documento passa pela análise da área jurídica e o órgão ministerial decreta emergência.

O Mapa já decretou emergência fitossanitária na Bahia, Mato Grosso, Goiás e parte de Minas Gerais. Dentre as medidas de combate, estão o vazio sanitário, adoção de áreas de refúgio e a destruição de restos da cultura.

A importação de produtos agrotóxicos, que tenham como ingrediente ativo a substância Benzoato de Emamectina, também está autorizada. As propriedades que utilizarem a substância serão acompanhadas por fiscalização.

Nos siga no Google Notícias