A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

18/03/2018 08:50

Escassas, moedas valem prêmio como bolo e caixa de bombom

Comerciantes, principalmente de itens mais baratos, oferecem prêmios para quem levar dinheiro de meta.

Danielle Valentim
 Já foram realizados três sorteios e o próximo está agendado para o dia 13 de maio. (Foto: Divulgação/Panificadora Pão Moreno) Já foram realizados três sorteios e o próximo está agendado para o dia 13 de maio. (Foto: Divulgação/Panificadora Pão Moreno)

A saga do comércio em busca de moedas para facilitar o troco continua e, mais uma vez, conta a ajuda dos próprios clientes. O “valioso” dinheiro de metal pode ser trocado por prêmios e descontos, em alguns estabelecimentos de Campo Grande. 

Nos caixas comércio central da Capital, a ausência principal é de moedas menores como R$ 0,05 e de R$ 0,10. As dificuldades para dar troco correto aos clientes são diárias e são enfrentadas, em maior grau, por locais que comercializam produtos mais baratos. O jeito é "agradar" o cliente para conseguir mais moedas.

Na panificadora Pão Moreno, por exemplo, a cada R$ 10 de moedas de baixo valor, o cliente troca por um cupom e passa a concorrer a uma torta chiffon. Já foram realizados três sorteios e o próximo está agendado para o dia 13 de Maio, Dia das Mães.

“Como temos a urna dos cupons, o cliente chega na loja e já vê a promoção. Várias pessoas já fizeram a troca. Essa semana mesmo um senhor chegou todo feliz para fazer a retirada do prêmio”, explica a proprietária Arlete Hoffmamm.

Na rede de supermercados Atacadão, o cliente pode realizar duas trocas diferentes e a premiação é uma caixa de bombom. Segundo o setor de cadastro da unidade Coronel Antonino, para ganhar o consumidor pode trocar R$ 100 de moedas de R$ 0,05 e R$ 0,10, ou R$ 500 em níqueis de valores maiores, no caso, R$ 0,25, 0,50 e R$ 1,00.

“A promoção ocorre desde o ano passado e os clientes são informados, por meio de informativo ou rede social”, explicou uma das funcionárias.

A rede de supermercados Comper, por exemplo, suspendeu promoções próprias de trocas de moedas, conforme a assessoria de imprensa da empresa. Mas o cliente tem disponível a tecnologia da máquina CataMoeda para incentivar a circulação de moedas em quatro das suas lojas.

Desde 2017, dois estabelecimentos da rede Comper nas cidades Campo Grande (Ypê e Jardim dos Estados) e outros dois em Cuiabá (CPA e Jardim Itália) têm unidades da máquina.

As moedas podem ser trocadas por vale-compras, para serem utilizados em dois meses nas unidades, ou por cédulas. A máquina contabiliza 90 moedas por minuto e possui um mecanismo que separa o dinheiro em gavetas de acordo com o valor e, opcionalmente, já integrado ao software de frente de caixa do estabelecimento. As quatro máquinas já teriam arrecadado mais de R$ 95 mil, em cerca de 270 mil moedas.

Campanha - No ano passado, o Banco Central lançou campanha nacional para incentivar a circulação de moedas no país. À época, um vídeo mostrava a importância de retirar moedas de cofrinhos, gavetas e cinzeiros, por exemplo, para aumentar a oferta do numerário, facilitar o troco e reduzir o gasto público.

Desde 2014 - De acordo com o BC, a produção de moedas foi reduzida há três anos, devido a necessidade de reduzir despesas públicos federais. Existem hoje, em circulação, 24,8 bilhões de unidades de moedas ou R$ 6,27 bilhões em valor, o que corresponde a uma disponibilidade de R$ 30 em moedas por pessoa e 119 unidades por habitante. Para resolver o problema de falta de moedas, o Banco Central informa que é necessário que os bancos e o comércio peguem moedas dos clientes, que poderão então ser disponibilizadas para recirculação do dinheiro.

Moedas viraram raridade no comércio, com produção menor pelo Banco Central.Moedas viraram raridade no comércio, com produção menor pelo Banco Central.


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions