A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 17 de Agosto de 2019

13/06/2019 15:01

Estado recebeu 14% mais turistas em 2018 e “vizinhos” foram maioria

Dos 91,5 mil visitantes que chegaram ao Estado no ano passado, bolivianos e paraguaios foram quase 90% do total

Humberto Marques
Gruta do Lago Azul, em Bonito, cidade que é um dos principais atrativos turísticos do Estado. (Foto: Arquivo)Gruta do Lago Azul, em Bonito, cidade que é um dos principais atrativos turísticos do Estado. (Foto: Arquivo)

Mato Grosso do Sul está na lista de 11 Estados brasileiros que, em 2018, registraram aumento no número de turistas internacionais recebidos, conforme dados divulgados nesta quinta-feira (13) pelo Ministério do Turismo, no Anuário Estatístico de 2019. Os dados revelam, ainda, que a grande maioria de visitantes ao Estado está a poucos quilômetros da fronteira, vindos da Bolívia e do Paraguai, respectivamente primeiro e segundo colocados na relação.

Conforme o anuário, em 2018, foram 91.518 turistas chegando no Estado, frente a 80.270 no ano anterior –uma diferença superior a 11 mil. Os dados estratificados do Ministério ainda apontam que a América do Sul é a principal origem dos visitantes ao Estado: 87.582 deles entraram no Estado vindo de algum país do continente.

A maioria chegou ao Estado pela Bolívia (55.569, frente a 48,8 mil em 2017). O vizinho Paraguai aparece em segundo lugar, com 26.795 turistas (foram 24.588 no período anterior). Os dois países, sozinhos, representam 89,99% do universo de turistas.

A terceira e a quarta posição também foi ocupada por visitantes sul-americanos, vindos do Peru (2.027) e Argentina (1.548). Nesses dois casos, houve um avanço considerável no total de turistas, já que em 2017 foram 1.211 peruanos e 1.031 argentinos visitando os atrativos sul-mato-grossenses.

Visitantes de outras partes do mundo só começam a ser identificados a partir da quinta posição que, ainda assim, tem origem latina: foram 1.041 mexicanos a chegar ao Estado no ano passado, contra 621 em 2017.

Costa Rica, no norte do Estado, que neste ano receberá o Rally dos Sertões. (Foto: Fundtur/Divulgação)Costa Rica, no norte do Estado, que neste ano receberá o Rally dos Sertões. (Foto: Fundtur/Divulgação)

As cinco nações foram as únicas a enviar turistas ao Estado na casa dos milhares. A lista de dez principais origens de visitantes ainda inclui Colômbia (679) e Chile (450), antes de surgirem países não-americanos: França (407) e Alemanha (356) são, respectivamente, o oitavo e nono na lista, encerrada com o Equador (277).

No outro extremo, alguns países foram representados no Estado com apenas um visitante, casos da Nigéria, Tunísia, Nicarágua, Guiana, Paquistão, Estônia, Grécia e Luxemburgo. Vieram, ainda, dois turistas de Angola, Malásia e Croácia; e três de El Salvador, Panamá, Bangladesh, Bulgária e Eslováquia.

O balanço aponta que 87.582 turistas eram sul-americanos; 1.981 europeus; 1.289 da América do Norte; 418 da Ásia; 186 da América Central e do Caribe; 76 da Oceania; e 36 da África.

Período e chegada – A alta temporada de turistas no Estado se dá entre os meses de dezembro e janeiro, conforme o anuário, que coloca estes meses como os de maior frequência de visitantes. Foram 12.573 em janeiro e 13.319 em dezembro do ano passado. Em 2017, foram respectivamente 11.943 e 11.840.

Em fevereiro os registros indicam 7.550 chegadas (6.886 em 2017), e 7.277 em março (5.060 no período anterior). Também foram registradas altas frequências entre julho e agosto, com 7.417 e 7.707 turistas nesses meses.

Morro do Paxixi, em Camisão (Aquidauana). (Foto: Arquivo)Morro do Paxixi, em Camisão (Aquidauana). (Foto: Arquivo)

Embora haja no país uma preocupação com a interligação aérea, a via terrestre, majoritariamente, a principal forma de se chegar a Mato Grosso do Sul, sendo usada por 99,6% do turistas –91.176 no total.

A via aérea foi usada por 308 visitantes (360% a mais que os 67 do ano passado), enquanto 34 turistas chegaram em barcos (frente a 90 em 2017).

Anuário – O Anuário Estatístico 2019 foi elaborado com dados da Polícia Federal, que controla o fluxo de entradas no país. Além de Mato Grosso do Sul, outros 10 Estados registraram aumento na entrada de turistas estrangeiros: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo. No quadro geral, o país teve recebeu 0,5% mais visitantes que em 2017.

Dentro da lista de 17 Estados que integram o Anuário, Mato Grosso do Sul ocupou a nona posição no total de turistas estrangeiros. A liderança isolada foi São Paulo, com 2,25 milhões de visitantes.

O Rio de Janeiro apareceu em segundo lugar em 2018, com 1,29 milhão de visitantes; e o Rio Grande do Sul foi o terceiro, com 1,08 milhão de turistas. Em quarto lugar figurou o Paraná (948,3 mil), com o vizinho Santa Catarina está em quinto (226,3 mil).

Três Estados do Nordeste aparecem nas posições seguintes: Bahia (148,6 mil turistas em 2018), Pernambuco (121,1 mil) e Ceará (107,4 mil). O décimo lugar coube a Minas Gerais (81,8 mil).

Proporcionalmente, os Estados que mais registraram aumento no total de visitantes foram Pernambuco (45,7%), Minas Gerais (44,8%), Ceará (44,1%) e Amapá (31,2%).

O ministro Marcelo Álvaro Antônio destacou o crescimento no volume de turistas fora do eixo Rio-São Paulo, que indica diversificação e qualificação da oferta em outros Estados, bem como uma melhor infraestrutura na região e resultado nas ações de promoção.

Campo Grande, vocacionada para o turismo de negócios. (Foto: Mario Hada/Fundtur/Divulgação)Campo Grande, vocacionada para o turismo de negócios. (Foto: Mario Hada/Fundtur/Divulgação)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions