A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Maio de 2017

25/04/2017 09:48

Exportações de celulose caem 20%, mas carne cresce 17% em três meses

Renata Volpe Haddad
Exportações de carne cresceram 17% de janeiro a março em Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação)Exportações de carne cresceram 17% de janeiro a março em Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação)

A exportação de celulose e papel de Mato Grosso do Sul, teve queda de 20% nos três primeiros meses de 2017, em comparação com o mesmo período do ano passado. Enquanto o setor está em queda, outro em expansão é o da carne: aumento de 17% de janeiro a março deste ano, resultado antes da operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal no dia 17 de março.

Segundo informações do Radar Industrial, da Fiems (Federação das Indústrias de MS), com relação as exportações da celulose e papel, um dos fatores de retração, foi a redução do preço médio da tonelada da celulose. De janeiro a março deste ano, as exportações somaram US$ 244,5 milhões, contra US$ 304,9 milhões em 2016.

Conforme o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, além da queda nos preços, a redução se deu principalmente pela diminuição nas compras em importantes mercados para a celulose de Mato Grosso do Sul, com destaque para a China, Itália, Holanda, Estados Unidos e Espanha. "Somados, esses países reduziram suas aquisições em 94,8 mil toneladas. Outro fator importante para o desempenho negativo foi a redução do preço médio da tonelada da celulose que passou de US$ 449,15 em 2016 para US$ 399,97 em 2017”, informa.

Com relação a carne, a receita de exportação nos três primeiros meses deste ano, alcançou o equivalente a US$ 226,4 milhões, um aumento de 17% sobre igual período de 2016, quando o total ficou em US$ 193,8 milhões.

O coordenador explica que houve expansão de compras realizadas de carne. "Arábia Saudita, Hong Kong, Rússia, Israel, Emirados Árabes e Estados Unidos aumentaram o nível de compras. Somados, esses países apresentaram aumento de US$ 45,7 milhões ou 13,1 mil toneladas", alega.

Em relação aos produtos exportados os destaques ficam por conta das carnes desossadas e congeladas de bovinos, pedaços e miudezas comestíveis congelados de frango e carnes desossadas frescas ou refrigeradas de bovinos.

Preço médio da tonelada da celulose caiu, contribuindo para que exportações reduzissem em 20% nos três primeiros meses de 2017. (Foto: Fibria)Preço médio da tonelada da celulose caiu, contribuindo para que exportações reduzissem em 20% nos três primeiros meses de 2017. (Foto: Fibria)

Expansão - Com aumento de 135% nas exportações, o grupo açúcar e etanol exportou US$ 126,9 milhões este ano. Em 2016, as exportações somaram US$ 54 milhões.

De acordo com Resende, o resultado é influenciado principalmente pelo aumento das compras realizadas pela Malásia, Bangladesh, Iraque, Egito e Estônia, que somados apresentaram incremento de US$ 74,2 milhões, e pela elevação do preço médio da tonelada do açúcar de cana, único produto do grupo com registro de vendas ao exterior no acumulado deste ano.

Industrializados - A receita com as exportações de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul registrou alta de 15% no mês de março deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, aumentando de US$ 206,4 milhões para US$ 236,9 milhões, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Já na comparação de janeiro a março deste ano com janeiro a março do ano passado quase não há variação, pois o montante ficou em US$ 691,1 milhões nos três primeiro meses deste ano contra US$ 692,6 milhões no mesmo período de 2016.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions