A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 18 de Agosto de 2018

09/07/2018 10:17

Greve dos caminhoneiros faz inflação bater recorde dos últimos 22 anos

O indicador fechou em 1,17% e só perdeu para 1996, quando foi 1,57%.

Ricardo Campos Jr.
A gasolina foi uma das responsáveis pela alta na inflação de junho, já que ela aumentou 7,39% no período (Foto: Paulo Francis)A gasolina foi uma das responsáveis pela alta na inflação de junho, já que ela aumentou 7,39% no período (Foto: Paulo Francis)
A batata, um dos itens mais afetados pelo desabastecimento em Campo Grande, subiu 50,34% (Foto: Marina Pacheco)A batata, um dos itens mais afetados pelo desabastecimento em Campo Grande, subiu 50,34% (Foto: Marina Pacheco)

Reflexo da greve dos caminhoneiros, a inflação em junho subiu 1,17% em relação a maio e bateu o recorde dos últimos 21 anos para este mês, segundo apurou o Nepes (Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais) da Uniderp. O indicador fechou em 1,17% e só perdeu para 1996, quando foi 1,57%.

O sexto mês normalmente tem baixas variações nos preços, mas o coordenador da pesquisa, Celso Correia de Souza, o desabastecimento causado pela interrupção no transporte de cargas elevou os valores a um alto patamar, principalmente no grupo alimentação.

Além disso, as projeções para os próximos meses não são nada favoráveis e a inflação acumulada em Campo Grande dificilmente fechará o ano abaixo do centro da meta do CMN (Conselho Monetário Internacional), que é de 4,5%.

Entre os fatores que devem influenciar negativamente os índices está a safra agrícola 7% menor, que pode atrapalhar a regulação dos preços dos produtos alimentícios, e a alta no dólar, que pode interferir nas importações, como trigo, máquinas de alta precisão, eletroeletrônicos e gasolina.

Vilões – A gasolina foi uma das responsáveis pela alta na inflação de junho, já que ela aumentou 7,39% no período. Também pesou no bolso dos consumidores a variação de 4,39% na energia elétrica com a bandeira vermelha nível dois e o gás de cozinha, que subiu 8,77%.

Com relação aos gêneros alimentícios, a batata, item mais afetado pelo desabastecimento, subiu 50,34%. Já o leite pasteurizado teve alta de 9,34%.

Pelo segundo mês consecutivo, o grupo alimentação registrou alta e fechou com índice de 3,22%. O A previsão do Nepes é que os produtos desse seguimento retornem aos patamares antigos com a normalização da distribuição.

Etanol, que ficou 1,64% mais barato no período, ajudou a reter a inflação (Foto: Paulo Francis).Etanol, que ficou 1,64% mais barato no período, ajudou a reter a inflação (Foto: Paulo Francis).

Baixas – A inflação só não foi mais alta porque alguns itens pesquisados tiveram variações negativas e seguraram os índices.

Entre eles está o diesel, que também como efeito da greve teve o preço congelado nas refinarias e apresentou deflação de 9,54% nas bombas e o etanol, que ficou 1,64% mais barato no período.

Na análise por grupos, tiveram deflações transportes (-0,56%), despesas pessoais (-0,44%) e vestuário (- 0,54%).

Um fator que pode ajudar a segurar a inflação este ano é a continuidade do nível de desemprego do país, que deve reduzir a demanda influenciado também pelos altos juros na economia e o nível de endividamento.

O IPC/CG mede o nível de variação dos preços mensais do consumo de bens e serviços, a partir da comparação da situação de consumo do mês atual em relação ao mês anterior, de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.

IGP-M acumula inflação de 6,8% em 12 meses na prévia de junho
O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou inflação de 1,75% na segunda prévia de junho. Segun...
Inflação acumulada é a menor desde o Plano Real: 1,33%
A inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou o mês de maio com alta de 0,4%, praticamente dobrando em relação ao apura...


O engraçado é que, quando os políticos aumentam o peso da máquina administrativa, NINGUÉM diz nada...
Quando os ROUBOS EXORBITANTES dos estádios da copa foram EXTRATOSFÉRICOS, ninguém diz nada...
Quando o aumento de salários e "cotas" para magistrados aumentas, ninguém diz nada...
Quando aumenta impostos em TODOS os setores, ninguém diz nada...
E agora a culpa é de um setor que fez greve por não ter condições de viver e pagar suas contas???
Me envergonha essas notícias doutrinatórias da mídia em DESMORALIZAR uma classe muito unida!!!
 
Gustavo Puglia de Medeiros em 09/07/2018 13:15:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions