A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Maio de 2017

10/05/2017 10:31

Inflação acumulada em 12 meses é de 4,08%, a menor desde julho de 2007

Nielmar de Oliveira, da Agência Brasil
Inflação pelo IPCA abrange famílias com rendimento de até 40 salários mínimos.  (Tânia Rêgo/Agência Brasil)Inflação pelo IPCA abrange famílias com rendimento de até 40 salários mínimos. (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou abril com variação de 0,14%, resultado 0,11 ponto percentual inferior ao de março (0,25%), passando a acumular nos quatro primeiros meses do ano alta de 1,1%. Nos primeiros quatro meses do ano passado a inflação acumulada pelo IPCA foi de 3,25%.

Os dados foram divulgados hoje (10), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado de abril, a inflação dos últimos doze meses é de 4,08%, a menor taxa em doze meses desde os 3,74% de julho de 2007 e 0,83 ponto percentual inferior aos 4,57% acumulados nos doze meses encerrados em março.

Os dados do IPCA, a inflação oficial do país, indicam ainda que, em abril de 2016, a taxa havia subido 0,61%. O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, abrange famílias com rendimento de até 40 salários mínimos e envolve dez regiões metropolitanas do país, além de Goiânia, Campo Grande e Brasília.

Energia e combustíveis têm queda

A queda de 0,11 ponto percentual na taxa do IPCA de março para abril reflete o recuo dos preços da energia elétrica e dos combustíveis. Segundo o IBGE, no caso da energia elétrica os preços caíram 6,39%, enquanto os preços dos combustíveis tiveram redução de 1,95%.

“Com a queda nas contas, a energia, responsável pela significativa parcela de 3,5% da despesa das famílias, representou o maior impacto negativo no ranking do mês (menos 0,22 ponto percentual). Já os combustíveis, responsáveis por parcela ainda mais significativa, de 5% das despesas das famílias, vieram em seguida, com menos 0,1 ponto percentual, uma vez que a queda foi menor”, diz o IBGE.

No caso da energia elétrica, a queda de 6,39% foi influenciada por descontos aplicados sobre as contas, por decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), de modo a compensar os consumidores pela cobrança indevida, em 2016, do chamado Encargo de Energia de Reserva (EER) destinado a remunerar a usina de Angra III.

Com a redução no preço da energia elétrica, as despesas com o grupo habitação caíram de março para abril para menos 1,09%, ocorrendo deflação – inflação negativa. Assim, o item habitação ficou tanto com a mais expressiva queda por grupo quanto com o mais significativo impacto.

Já a queda no preço dos combustíveis levou a que o grupo transporte fechasse também com deflação de 0,06%. O litro da gasolina ficou 1,75% mais barato e o etanol, 3,33%. Houve no grupo pressão das passagens aéreas, com alta de 15,48%, e dos ônibus urbanos: 0,69%.

Do lado dos itens que se mostraram em alta sobressai o grupo saúde e cuidados pessoais (1%), tendo os medicamentos na liderança dos principais impactos no índice do mês. É que os preços aumentaram 1,95%, gerando impacto de 0,07 ponto percentual.

Em alimentação e bebidas, a variação de 0,58% refletiu aumento nos preços de vários produtos, como tomate (29,02%) e batata-inglesa (20,81%). Em contraposição aos itens anteriores, alguns produtos, como óleo de soja (-4,17%) e arroz (-1,69%) ficaram mais baratos.

Em relação aos índices regionais, os resultados ficaram entre -0,22% na região metropolitana de Salvador e 0,54% no Distrito Federal. Em São Paulo, a taxa variou 0,16% e, no Rio de Janeiro, 0,38%. Em ambos os casos, o resultado ficou acima do IPCA a nível nacional de 0,14%.

INPC varia 0,08% em abril

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para as famílias de menor renda (de até cinco salários) apresentou variação menor do que o IPCA em abril: 0,08%. O resultado é 0,24 ponto percentual menor que a taxa de março, cuja alta foi de 0,32%. No acumulado dos últimos doze meses, o INPC caiu dos 4,57% de março para 3,99% em abril. Em abril de 2016, o INPC anotou alta de 0,64%.

Os produtos alimentícios tiveram alta de 0,58% em abril, enquanto em março registraram alta de 0,32%. Quanto aos índices regionais, o mais elevado foi o da região metropolitana de Recife (0,6%). O menor índice foi registrado em Campo Grande (-0,38%).

Conselho do FCO aprova mudanlas para dar celeridade aos financiamentos
Foi aprovado em reunião extraordinária dos membros do Conselho de Investimentos Financiáveis pelo FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centr...
Refletindo cenário político, Bovespa cai 1,54% e dólar sobe a R$ 3,27
O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&F Bovespa), Ibovespa, encerrou o dia com queda de 1,54%. O dólar, por sua vez, terminou o pre...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions