A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

09/06/2011 13:51

Norma do BC permite troca de notas manchadas por dispositivo antifurto

Kelly Oliveira, da Agência Brasil

O Banco Central (BC) editou mais uma regulamentação sobre cédulas danificadas por dispositivos antifurto. Segundo informação divulgada hoje (9) pelo BC, quando o cliente sacar cédula manchada em um banco ou terminal de autoatendimento, a instituição financeira deverá trocar a nota danificada.

“Esse procedimento deverá ocorrer imediatamente após a apresentação da cédula à instituição financeira”, diz o BC, em nota. Os bancos deverão enviar as cédulas manchadas ao Banco Central e arcar com os custos dos serviços de análise e reposição das cédulas danificadas.

Segundo comunicado do BC, “as medidas adotadas têm como objetivo preservar o interesse do cidadão e contribuir para inibir furtos e roubos a caixas eletrônicos, ao dificultar a circulação de notas roubadas ou furtadas”.

Banco Central edita norma que permite troca imediata de notas manchadas por dispositivo antifurto. (Foto: João Garrigó)Banco Central edita norma que permite troca imediata de notas manchadas por dispositivo antifurto. (Foto: João Garrigó)

Com o aumento de casos de explosão de caixas eletrônicos por criminosos, os bancos têm instalado dispositivos antifurto nessas máquinas. Esse mecanismo mancha com tinta rosa as cédulas do caixa eletrônico danificado.

No dia 1º, o BC editou normas que tornaram essas cédulas manchadas inválidas.

A orientação do BC era que, no caso de saque de dinheiro em caixas eletrônicos fora do horário de expediente bancário, o cliente deveria registar ocorrência em uma delegacia, além de retirar um extrato da conta. No horário de atendimento do banco, a orientação era retirar um extrato e procurar a instituição financeira. Neste caso, o cliente poderia ser ressarcido.

Agora, segundo a assessoria de imprensa do BC, o registro de ocorrência na delegacia e a retirada do extrato não são obrigatórios para que o banco tenha que ressarcir o cliente, já que as instituições têm registros dos saques.

Além disso, o ressarcimento terá que ser feito imediatamente.

Na página do BC - -, é possível consultar perguntas e respostas sobre as cédulas manchadas por dispositivos antifurto. Uma das orientações disponíveis no site é que, caso o saque seja feito em terminais 24 horas, o cidadão deve procurar qualquer agência de seu banco para trocar a nota. No caso de beneficiários do Bolsa Família ou de aposentados sem conta bancária, a orientação é procurar qualquer agência do banco onde sacou o dinheiro para fazer a troca.

Em outras situações (que não seja o saque em banco ou caixas eletrônicos), o BC mantém a orientação de que o cidadão deve recusar o recebimento de cédulas manchadas de rosa. Mas se ele receber sem perceber uma nota manchada no comércio, por exemplo, deve procurar qualquer agência bancária e entregá-la.

Ao receber a nota, o banco anotará os dados do cidadão (nome, endereço, CPF ou CNPJ no caso de ser empresa) e enviará a cédula para análise do BC. Se ficar comprovado que a mancha não foi provocada por mecanismo antifurto, o cidadão será ressarcido pelo banco. Caso fique comprovado que a mancha se deve a esse tipo de dispositivo, não haverá reembolso.



Interessante essa coisa toda: a) a FEBRABAN (leia-se Bancos) cria um dispositivo (injetar tinta no caso de arrombamento de seus cofres eletrônicos), tipicamente para se proteger (leia-se: manter seus lucros); b) o consumidor que recebe a nota com manchas (e algumas são diminutas e quase imperceptíveis, notadamente se entremeadas com outras) fica no prejuízo, haja vista que não poderá circular a nota (que é autêntica, aliás) e que será apreendida quando for levada para a rede bancária. Ou seja, o cidadão continua sendo besta mesmo. Ministério Público, vamos agir???? O cidadão não pode ser responsabilizado (como sempre) por, desavisadamente, receber uma nota que foi adulterada (?) pela própria rede bancária.
 
Helder Figueiredo em 10/06/2011 06:44:25
Ainda não chegaram no objetivo principal. Com certeza a solução teria que ser no caixa eletrônico que fosse retirado notas manchadas de tinta vermelhas, imediatamente após constatação deveria expedir mandado de prisão para a pessoa responsavel pelo abastecimento do caixa. É certeza tá existindo uma forcinha de alquém para espalhar essas notas, será que ninguém da imprensa vai comentar isso?????? " Tô de Zóio"
 
luiz Charles da Silveira em 09/06/2011 06:10:38
engraçado, se Eu, sacar no caixa eletronico, tenho que enfrentar mas essa borocracia. Porque ante de acontecer o Bc, não toma as medida cabivel, nos cliente, que temos que passar por essa incoveniencia... COMO DIA DATENA (HOOOOORAS) ......
ISSO SO PODE SER NO PAIS ONDE PEDRO ALVES CABRAL ( CHEGOUUUU).......
HOOOOOORAS, MEU...
CHEGAR
 
NILSON FRUTO em 09/06/2011 05:25:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions