ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 23º

Economia

Receita de exportações da indústria tem queda de 35% neste ano

Priscilla Peres | 15/06/2015 10:16
Exportações do setor frigorífico caiu 29% neste ano.(Foto: Fiems)
Exportações do setor frigorífico caiu 29% neste ano.(Foto: Fiems)

Em maio, a receita de exportações dos produtos industrializados somou US$ 236,3 milhões em Mato Grosso do Sul. O resultado é o pior para o mês dos últimos cinco anos e quando comparado ao mesmo período do ano passado, a retração chega a 35,7%. Os números foram divulgados pelo Radar Industrial da Fiems (Federação da Indústria de MS).

No acumulado do ano, as exportações de industrializados do Estado apresentou queda de 17,8%, passando de US$ 1,43 bilhão para US$ 1,17 bilhão, entre janeiro e maio. Nesse período, os grupos grupos “Complexo Frigorífico”, “Extrativo Mineral”, “Óleos Vegetais”, “Couros e Peles” e “Papel e Celulose”, tiveram redução nos produtos exportados.

Entre os grupos, a maior retração nas exportações foi sentida pela mineração de ferro. A receita de janeiro a maio de 2015 alcançou o equivalente a US$ 87,2 milhões, indicando recuo de 40,6% sobre 2014, quando as vendas foram de US$ 146,7 milhões. O resultado é consequência da queda de quase 50% no preço pago pelo produto.

Os setores de Couros e Óleos Vegetais também tiveram quedas expressivas no ano, que somam 37,9% e 39% respectivamente. O que influenciou o resultado de ambos foi a redução no consumo de importantes países. No segundo grupo, por exemplo, houve queda de 64% nas compras realizadas pela Tailândia e Holanda, sendo que os dois países eram os principais destinos das vendas de Mato Grosso do Sul.

Os setores mais importantes do Estado, tiveram quedas menores, mas de grande significância. O grupo frigorífico teve receita de US$ 345,2 milhões entre janeiro e maio, resultado 29,1% menor que no mesmo período de 2014. Mercados externos grandes, como a Rússia reduziram o consumo nesse período, influenciando diretamente nas nossas exportações.

Já o mercado de papel e celulose teve queda de 4% neste ano, comparado ao ano passado. O motivo é o mesmo, a diminuição das aquisições em importantes mercados compradores da celulose sul-mato-grossense, com destaque para a Coreia do Sul, Estados Unidos, Itália e Holanda.

O único segmento que neste ano apresenta alta é o de açúcar e álcool. A receita de exportação de janeiro a maio de 2015 alcançou o equivalente a US$ 148,7 milhões, crescimento nominal de 47,4% sobre igual período do ano passado, quando as vendas foram de US$ 100,9 milhões. A comercialização de produtos desse segmentos foi o responsável pela alta.

Nos siga no Google Notícias