ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 22º

Economia

Secretaria diz que lagartas que destroem lavouras estão sob controle no estado

Por Ricardo Campos Jr. | 09/11/2017 15:46
Lagarta Helicoverpa impressiona pelo poder destrutivo (Foto: Embrapa)
Lagarta Helicoverpa impressiona pelo poder destrutivo (Foto: Embrapa)

Sem revelar dados sobre a incidência da Helicoverpa armigera em Mato Grosso do Sul, a Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) disse ao Campo Grande News nesta quinta-feira (9) que a praga está sobre controle nas lavouras.

Em fevereiro algumas lagartas, em quantidade insuficiente para causar danos econômicos, foram encontradas em plantações da região nordeste do estado e desde então o órgão não divulgou mais nada a respeito.

Durante três meses, na ocasião, técnicos da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) visitaram propriedades rurais de diversos municípios realizando um levantamento sobre a lagarta.

A Semagro não informou se novos trabalhos semelhantes foram realizados e em quais períodos depois disso.

Na terça-feira (7) o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) renovou o decreto de emergência fitossanitária em Mato Grosso do Sul relacionado à Helicoverpa, o que permite, entre outras coisas, a compra de inseticidas à base de benzoato, que normalmente são proibidos no país.

Contudo, conforme a Semagro, a medida se deu para estender os efeitos da portaria até julho de 2018, de modo a acompanhar a lavoura de soja 2017/2018.

A Helicoverpa armigera ataca mais de cem espécies cultivadas ou não, como soja, milho, café e sorgo. Segundo a Embrapa (Empresa Brasioleira de Pesquisa Agropecuária), impressiona o poder de destruição que ela tem. O primeiro registro da doença no Brasil ocorreu no oeste da Bahia em fevereiro de 2013.