A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

29/06/2017 15:21

Embora classificado, Comercial não paga salários e jogadores ameaçam greve

Paulo Nonato de Souza
Comercial, de vermelho, em jogo da Série D do Campeonato Brasileiro diante do Sinop, em Campo Grande (Foto: Arquivo)Comercial, de vermelho, em jogo da Série D do Campeonato Brasileiro diante do Sinop, em Campo Grande (Foto: Arquivo)

Nem tudo são flores no Esporte Clube Comercial. Ainda em meio ao clima de alegria pela inédita classificação para a segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro 2017, conquistada no ultimo domingo com a vitória de 3 a 2 diante do Sinop Futebol Clube, na cidade de Sinop, no Mato Grosso, os jogadores vivem o drama dos salários atrasados há dois meses e estão dispostos a não treinar, caso o clube não honre o pagamento até o próximo sábado, 01 de julho.

A denúncia foi feita nesta quinta-feira, 29, por um grupo de esposas dos jogadores, que pediram para não serem identificadas por medo de represália da direção do clube contra seus maridos. Segundo elas, no sábado serão completados dois meses sem pagamento de salário, e isso significa que a partir de então, se a inadimplência do clube continuar, os jogadores estarão amparados por lei e poderão deixar de treinar.

O artigo 32 da Lei 9.615/98, a conhecida Lei Pelé, diz que “é lícito ao atleta profissional recusar competir por entidade de prática desportiva quando seus salários, no todo ou em parte, estiverem atrasados em dois ou mais meses”. As esposas dos jogadores relataram ao Campo Grande News que a direção do clube havia prometido pagar os salários em atraso no dia 10 deste mês.

“Cada dia a diretoria do Comercial vem com uma desculpa. É empréstimo que não saiu, é repasse que não foi feito, e enquanto isso estamos com contas de luz, água e escola de filhos tudo atrasado. Queremos pagar nossas contas”, disse uma das esposas.

Como a próxima fase da Série D do Campeonato Brasileiro é eliminatória, as esposas dos jogadores comercialinos temem pelo calote do clube no caso de o time ser eliminado. “O ideal é que pague logo para dar mais motivação e segurança aos jogadores. Com o time jogando e disputando classificação está difícil receber, nem quero pensar no que vai acontecer com a gente se o Comercial for desclassificado”, comentou uma delas.

Por esse temor, as esposas comemoraram a decisão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) ao adiar a fase de mata-mata da Série D para os dias 9 de julho (jogos de ida) e 16 de julho (jogos de volta). Os confrontos começariam neste final de semana com a estreia do Comercial diante do América de Natal, às 18 horas deste sábado, dia 01 de julho, no Estádio Morenão, com o confronto de volta no dia 8, em Natal, no Rio Grande do Norte.

Posição do clube - Falando em nome da diretoria, o gerente de futebol do Comercial, Paulo Telles, disse que o clube tem consciência da situação de atraso dos salários não só dos jogadores, mas de todos os funcionários, e está trabalhando em busca de uma solução entre hoje e amanhã.

“Também estou na mesma situação e minha esposa está na mesma situação das esposas dos jogadores. O Comercial tem uma diretoria honrada, que assumiu o clube em janeiro com uma dívida de R$ 3 milhões e honrou todos os compromissos. O nosso presidente Valter Magrini é um empresário sério, não costuma dar colote. Portanto, vamos acreditar e trabalhar porque esse momento de dificuldade será superado”, disse Paulo Telles ao Campo Grande News.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions