ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 19º

Jogo Aberto

Autistas quase foram "despejados" em doação

Por Ângela Kempfer, Caroline Maldonado e Maristela Brunetto | 14/05/2024 06:00

Aqui não - Depois de muita pressão, familiares de autistas conseguiram reverter uma lei que doava terreno público a um posto de combustíveis. A AMA (Associação de Pais e Amigos do Autista) já tinha autorização para usar a área e planeja construir uma sede com emenda federal do deputado Geraldo Resende. Com isso, a área de 4.350m2 no Bairro Leblon volta a ser imóvel público e a associação espera resposta ao pedido de doação para a sede.

Como assim? - A doação ao posto foi sancionada no dia 29 de dezembro de 2023 no bojo do Prodes (Programa de Incentivos para o Desenvolvimento Econômico e Social de Campo Grande). A associação então questionou os vereadores e a própria prefeitura mandou à câmara o projeto de revogação da lei, que foi aprovada e a sanção publicada na segunda-feira (13), no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

Cutucada - Durante evento para fechar acordo com professores para conceder promoções paradas há 5 anos, a prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP), disse que sentiu falta do presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, referindo-se ao vereador Juari Lopes (PSDB).

Amigos - “A gente não pode envolver política partidária”, provocou Adriane, considerando que é pré-candidata à reeleição e o time de Juari é hoje a principal oposição, com o deputado federal Humberto Pereira, o “Beto Pereira” na mesma disputa como candidato tucano. O vereador justificou que já estava em outra agenda e como foi convidado “em cima da hora” não teve como desmarcar, mas retrucou no mesmo tom.

Como assim? - Questionado sobre a ausência, Juari alegou que foi convidado pelo sindicato cerca de uma hora e meia antes do evento e reclamou que geralmente não é convidado para ações da prefeitura voltadas à educação. “Em 99% das ações ela não me chama e agora está sentindo minha falta, estranho! Que bom que ela sentiu minha falta”, respondeu.

Muita conversa - Da Câmara, foram à assembleia da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública) somente os vereadores da base da prefeita, Roberto Avelar, o “Beto”; Marcos Tabosa e Riverton de Souza, todos do PP (Partido Progressista). Eles receberam elogios do presidente do sindicato, Gilvano Kunzler Bronzoni, que lembrou do acordo “fruto de muita conversa por telefone, até aos domingos, à noite”.

Uma coisa de cada vez – Mas o sindicalista também deixou um aviso: "Resolvemos um problema, mas fica frio que vamos continuar ligando para discutir outros". A categoria quer que a prefeitura chame bem mais do que os 323 profissionais previstos no concurso aberto. “Estamos pedindo que chame pelo menos uns 500 além desses previstos, mas ao todo precisamos mesmo de uns mil professores a mais”, comentou Gilvano em entrevista.

Puccinelli usando óculos de realidade virtual em vídeo.
Puccinelli usando óculos de realidade virtual em vídeo.

Modernet - A todo vapor na campanha, o ex-governador André Puccinelli assume o estilo moderninho. Para não parecer ultrapassado na disputa pela prefeitura de Campo Grande, faz vídeo usando óculos de realidade virtual para mostrar projetos que pretende implantar na Capital.

Tal qual - Procuradores públicos de Mato Grosso do Sul engrossam o ato que integrantes da advocacia pública realizam nesta terça-feira em Brasília para reivindicar autonomia administrativa. Os profissionais que defendem o Poder Executivo querem o que já conseguiram Defensoria Pública e Ministério Público. O Judiciário também tem autonomia na definição do uso dos recursos públicos recebidos, recebendo duodécimo. Agora, procuradores dos estados, municípios e membros da AGU se articulam pela aprovação de uma emenda constitucional.

Isonomia - A vice-presidente da Anape (Associação Nacional de Procuradores) e procuradora do Estado por Mato Grosso do Sul, Fabíola Marquetti Sanches Rahim, aponta que se promoverá isonomia entre as carreiras jurídicas e reconhecimento às particularidades dos profissionais dentro do serviço público. “A nossa atuação é transversal, nós precisamos de altos investimentos em tecnologia, em capacitação, somos profissionais que entregamos para o serviço público, para a sociedade, o nosso capital intelectual. Então, é uma carreira que precisa ter um tratamento, um investimento especial.”

Nos siga no Google Notícias