A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


26/06/2015 06:00

Deputada quer ascensão por mérito no serviço público

Edivaldo Bitencourt

Não é bem assim - A deputada federal Teresa Cristina (PSB) defende reestudo da carreira no serviço público, mas não chega ao “extremo” de propor o fim da estabilidade, como informou ontem, aqui no Jogo Aberto, o secretário de Governo, Eduardo Riedel.

Premiar a competência - A parlamentar socialista diz que o serviço precisa melhorar. A “máquina é pesada” e o “Brasil está quebrado”, afirma. Mas ela vê na estabilidade segurança do servidor para evitar demissões políticas. A saída, aponta, é a meritocracia, ascensão por mérito.

Ponto final - Ao contrário do que disse Riedel, no discurso de quarta-feira (24) na Fiems, Teresa Cristina afirma não ter compromisso para apresentar projeto, na Câmara dos Deputados, propondo o fim da estabilidade no serviço público.

Indignação – O vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), afirmou que pode mudar de lado e reforçar a oposição. O socialista reagiu, durante sessão itinerante ontem, à declaração dos enfermeiros em greve, que só querem ser recebidos pelo prefeito Gilmar Olarte (PP). “Não tem essa de prefeito dizer que não receber ninguém”, destacou, no discurso para agradar a platéia.

Não é assim – No entanto, os enfermeiros não estão em greve apenas para serem recebidos pelo prefeito da Capital. A categoria exige reajuste salarial de 8,3%. A paralisação prejudica o atendimento da população nos postos de saúde.

Bate boca – Os vereadores voltaram a trocar farpas e ter discussão acalorada nesta quinta-feira. Chiquinho Telles (PSD) disse que o PMDB vai comandar a Fundação Municipal de Cultura, a ser comandada por Marcos Roker. Os peemedebistas reagiram com indignação ao fuxico.

Sem pastas – O presidente da Câmara, Mario Cesar (PMDB), exaltou-se e destacou que o partido não tem nenhum cargo no primeiro escalão. A presidente municipal do PMDB, Carla Stephanini, destacou que a escolha, se houver, é pessoal e não partidária. Ela integra a ala independente da sigla na Câmara Municipal.

Pela ordem – O presidente da Assembleia, o deputado Junior Mochi (PMDB), afirmou que houve reunião entre os parlamentares para definir as pautas até o início do recesso. O objetivo é priorizar os projetos principais para serem votados ao longo da semana e deixar que a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) fique para a última semana do legislativo.

Pá de cal – O deputado Marquinhos Trad (PMDB) afirmou que ficou difícil a situação da CPI da Enersul. Na quarta-feira, os desembargadores do Tribunal de Justiça foram unânimes em negar recurso para permitir a retomada da investigação da concessionária de energia.

Visita - O ex-presidente da Assembleia, Jerson Domingos, atual conselheiro do Tribunal de Contas, esteve, ontem, na Casa de Leis para conversar com os colegas. Ele disse que o ex-aposentado José Ricardo Cabral, que desistiu do pijama, volta a trabalhar normalmente em agosto.

(colaboraram Juliana Brum e Leonardo Rocha)

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


Se a Deputada quer o sistema de meritocracia no serviço público, está bem pra mim.....CONCORDO.......agora junto com a meritocracia peço que ela insira no seu projeto que NÃO SEJA POSSÍVEL A INDICAÇÃO DE CARGOS POLÍTICOS na Administração Pública.
A indicação dos apadrinhados é o fruto das perseguições que existem nas esferas municipais e estaduais e em menor quantidade na esfera federal.
Por fim, peço ainda que proporcione todas as indenizações pertinentes nos moldes da iniciativa privativa já que nós servidores públicos estatutários não temos o FGTS por exemplo. Dessa forma, que se estude uma justa indenização para os servidores públicos.
Com tudo isso.......VIVA A MERITOCRACIA, COM O FIM DOS APADRINHADOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA !!!!!!!
 
lcnr em 26/06/2015 10:49:35
Ah Tá.... Não é bem assim?! É só mais ou menos assim... Tá CERTO!!! O que essa história de mérito deu lá em Minas na época do Aécio?!
 
JESSICA MACHADO GONÇALVES em 26/06/2015 09:19:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions