A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 20 de Outubro de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


26/06/2015 06:00

Deputada quer ascensão por mérito no serviço público

Edivaldo Bitencourt

Não é bem assim - A deputada federal Teresa Cristina (PSB) defende reestudo da carreira no serviço público, mas não chega ao “extremo” de propor o fim da estabilidade, como informou ontem, aqui no Jogo Aberto, o secretário de Governo, Eduardo Riedel.

Premiar a competência - A parlamentar socialista diz que o serviço precisa melhorar. A “máquina é pesada” e o “Brasil está quebrado”, afirma. Mas ela vê na estabilidade segurança do servidor para evitar demissões políticas. A saída, aponta, é a meritocracia, ascensão por mérito.

Ponto final - Ao contrário do que disse Riedel, no discurso de quarta-feira (24) na Fiems, Teresa Cristina afirma não ter compromisso para apresentar projeto, na Câmara dos Deputados, propondo o fim da estabilidade no serviço público.

Indignação – O vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), afirmou que pode mudar de lado e reforçar a oposição. O socialista reagiu, durante sessão itinerante ontem, à declaração dos enfermeiros em greve, que só querem ser recebidos pelo prefeito Gilmar Olarte (PP). “Não tem essa de prefeito dizer que não receber ninguém”, destacou, no discurso para agradar a platéia.

Não é assim – No entanto, os enfermeiros não estão em greve apenas para serem recebidos pelo prefeito da Capital. A categoria exige reajuste salarial de 8,3%. A paralisação prejudica o atendimento da população nos postos de saúde.

Bate boca – Os vereadores voltaram a trocar farpas e ter discussão acalorada nesta quinta-feira. Chiquinho Telles (PSD) disse que o PMDB vai comandar a Fundação Municipal de Cultura, a ser comandada por Marcos Roker. Os peemedebistas reagiram com indignação ao fuxico.

Sem pastas – O presidente da Câmara, Mario Cesar (PMDB), exaltou-se e destacou que o partido não tem nenhum cargo no primeiro escalão. A presidente municipal do PMDB, Carla Stephanini, destacou que a escolha, se houver, é pessoal e não partidária. Ela integra a ala independente da sigla na Câmara Municipal.

Pela ordem – O presidente da Assembleia, o deputado Junior Mochi (PMDB), afirmou que houve reunião entre os parlamentares para definir as pautas até o início do recesso. O objetivo é priorizar os projetos principais para serem votados ao longo da semana e deixar que a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) fique para a última semana do legislativo.

Pá de cal – O deputado Marquinhos Trad (PMDB) afirmou que ficou difícil a situação da CPI da Enersul. Na quarta-feira, os desembargadores do Tribunal de Justiça foram unânimes em negar recurso para permitir a retomada da investigação da concessionária de energia.

Visita - O ex-presidente da Assembleia, Jerson Domingos, atual conselheiro do Tribunal de Contas, esteve, ontem, na Casa de Leis para conversar com os colegas. Ele disse que o ex-aposentado José Ricardo Cabral, que desistiu do pijama, volta a trabalhar normalmente em agosto.

(colaboraram Juliana Brum e Leonardo Rocha)

Adeus a "Playboy" tem foto de bebida na mesa de bar
Despedida – Tem gosto amargo e dolorido, principalmente para as pessoas próximas, a última foto postada nas redes sociais por Marcel Colombo, conheci...
Campanha, tiro na escola e oportunismo
“Guerra virtual” – Não podia ser diferente. O episódio lamentável em que uma criança de 9 anos entrou armada na sala de aula em Campo Grande e atirou...
Justiça agora pode até cobrar Delcídio
Ainda à espera - A Justiça Eleitoral rejeitou o registro de candidatura de Delcídio Amaral (PTC) ao Senado, depois da derrota nas uras. A juíza Eliza...
Clima de campanha não poupa nem festões
Todo lugar - O clima de campanha, neste segundo turno polarizado, não deixa escapar nem os casamentos. Durante festa no sábado no bufê Murano, na Ave...


Se a Deputada quer o sistema de meritocracia no serviço público, está bem pra mim.....CONCORDO.......agora junto com a meritocracia peço que ela insira no seu projeto que NÃO SEJA POSSÍVEL A INDICAÇÃO DE CARGOS POLÍTICOS na Administração Pública.
A indicação dos apadrinhados é o fruto das perseguições que existem nas esferas municipais e estaduais e em menor quantidade na esfera federal.
Por fim, peço ainda que proporcione todas as indenizações pertinentes nos moldes da iniciativa privativa já que nós servidores públicos estatutários não temos o FGTS por exemplo. Dessa forma, que se estude uma justa indenização para os servidores públicos.
Com tudo isso.......VIVA A MERITOCRACIA, COM O FIM DOS APADRINHADOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA !!!!!!!
 
lcnr em 26/06/2015 10:49:35
Ah Tá.... Não é bem assim?! É só mais ou menos assim... Tá CERTO!!! O que essa história de mérito deu lá em Minas na época do Aécio?!
 
JESSICA MACHADO GONÇALVES em 26/06/2015 09:19:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions