ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 16º

Jogo Aberto

Desigualdade salarial

Por Jogo Aberto | 25/07/2012 06:00

Disparidade

Da lista com os salários do TRT de Mato Grosso do Sul disponível no site do órgão, com vencimentos acima dos R$ 350 mil no mês de junho, os valores de Imposto de Renda deixam qualquer trabalhador comum no mínimo espantado. Apenas um magistrado pagou R$ 28 mil de tributo.

Contas

Só a título de comparação, o valor do Imposto de Renda pago pelo magistrado é equivalente a 45 salários mínimos, hoje em R$ 622, e suficiente para comprar um carro popular.

Muito mais

Se a relação for com o vencimento mais alto pago pelo TRT, então, a coisa fica mais séria. O valor pago apenas a um juiz no mês de junho, é igual a 500 salários mínimos. Ou uma pequena frota de 12 carros populares.

Na outra ponta

Para quem acha que só tem salário gordo no TRT, a folha de pagamento divulgada mostra que não é bem assim. Os salários baixos são poucos, é fato, mas existem. O menor vencimento encontrado é de R$ 595.

Esquentou

A campanha eleitoral ganhou clima tenso em Ribas do Rio Pardo nos últimos dias. A coluna recebeu a informação de que a situação chegou a tal ponto que vereador ameaçou jornalistas por lá. O caso foi parar na delegacia.

Fogo amigo

O candidato do PP à Prefeitura de Campo Grande, Alcides Bernal, voltou a reclamar do fogo amigo que enfrenta dentro do partido no Estado. Segundo ele, o vereador Lídio Lopes e o presidente da Emha, Paulo Matos, trabalham a favor da candidatura de Edson Giroto. As acusações entre eles são mais que antigas.

Falta de esforço

Bernal também comentou sobre o fato de ser candidato em chapa única na disputa. Ele lembrou que havia a promessa do senador Delcídio do Amaral convencer o PSB a apoiá-lo, o que não ocorreu. O candidato ainda acentuou a falta de sintonia com o PT que, de outro lado, segue em candidatura isolada.

Discurso

Dizendo estar ciente de que lidera pesquisas de intenções de voto, o progressista mostrou discurso afiado. Para ele, o desenvolvimento da Capital “só vai em direção aos shoppings”.

Demora, mas não tarda

Cinco anos depois, um morador de Nova Andradina conseguiu este mês na Justiça indenização por danos morais e materiais, após ter sido vítima de um buraco em uma rua da cidade, em 2007. A indenização por danos morais foi de R$ 24 mil.

Reparação

Na ação movida contra a Prefeitura, o morador conta que passava pelo local, onde havia um buraco de mais de 3 metros. A rua era mal iluminada e ele acabou caindo na vala, que, segundo disse, estava cheia de entulho, incluindo materiais cortantes. A vítima perdeu dois dentes no tombo.