A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 17 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


27/11/2012 06:00

Menos de um mês

Jogo Aberto

Chegando a hora
Já faz tempo que o prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho, adotou o tom de despedida da administração municipal nas solenidades públicas. Cada dia mais perto do fim do mandato, o assunto está ainda mais presente. Ontem, quando acompanhou o início de operação do consórcio Guaicuru no transporte coletivo em Campo Grande, foi assim.

Duas coisas
Por onde passou, Nelsinho agradeceu às pessoas que contribuíram com sua administração. O prefeito também chegou a pedir desculpas por algo que não tenha agradado.

Passou do tempo
Usuários das linhas que eram administradas pela Serrana, que deixou o transporte coletivo em Campo Grande,  revelaram alívio com a mudança. Entre eles, a expectativa é de que a qualidade dos veículos oferecidos melhore.

Gambiarra
Em contato com a coluna, um leitor contou que chegou andar em um ônibus em que uma parte corrimão havia se soltado e estava amarrada, de forma bem improvisada. 

Sem prefeitos
A segunda reunião, entre Governo do Estado e ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), não teve a participação dos “prefeitos” de Campo Grande.

Explicação
Segundo o presidente da entidade, Wilson Teslenco, não é viável a participação nem de Nelson Trad Filho nem de Alcides Bernal neste momento e, por conta disso, só o Governo do Estado mediou as discussões.

Explicação 2
Conforme Teslenco, como Nelsinho está deixando a administração e Bernal ainda não assumiu, a preferência por deixá-los de fora do encontro. No entanto, ele admitiu que já se reuniu com o progressista para discutir o assunto.

Campanha
Integrantes da ABCG aderiram à campanha que elegeu Alcides Bernal prefeito. Isso porque o chefe do Executivo Municipal a partir de 2013 deixou bastante explícito, como proposta, a devolução do hospital à associação como saída ideal para melhorar a saúde pública da Capital.

E como fica?
Professores que no domingo foram para a porta de universidades onde foi aplicado o Enade, que avalia a qualidade do ensino superior, se queixaram do impacto negativo que pode ter a confusão em um dos locais de prova, em Campo Grande, onde faltou luz. A alegação é de que quem fez a prova na Uniderp Anhanguera, diante da demora e da indefinição, por causa da falta de energia, pode ter o desempenho prejudicado.

Jogo de empurra

E a situação na instituição, por enquanto, segue "sem culpados". A Uniderp diz que solicitou à Enersul um laudo técnico sobre o problema. A concessionária, por sua vez, diz que não recebeu e que, caso receba o pedido, não é responsável por esse tipo de documento. A Enersul diz que o problema é interno na universidade.

Interesses contrários a MS
Contra o projeto de distribuição dos royalties como foi aprovado, os fluminenses foram ontem às ruas, em um ato que reuniu 200 mil pessoas, entre elas famosos do naipe de Xuxa. Vale lembrar que o governador de Mato Grosso do Sul é um dos defensores do projeto como ele passou e já afirmou que o Rio de Janeiro está sendo egoísta e tenta propagar a ideia de que só eles são brasileiros.

 

 

"Nem a pau", diz Correa sobre desistir de ação contra JBS
Negativo - “Nem a pau”. Essa foi a reação do presidente da CPI da JBS, Paulo Correa (PR), à cogitação de retirar a ação contra a empresa, para preser...
Bonito quer bombar com shows gringos no Carnaval
Bombando - Empresários estão investindo pesado no Carnaval de Bonito 2018. Além da celebridade internacional Paris Hilton, uma das atrações em negoci...
Fábrica planeja investimento de meio bilhão em porto
Projeto ambicioso – Depois de inaugurar mais uma unidade em Três Lagoas, ampliando a produção de celulose, a Fibria negocia com a ampliação da estrut...
MS cumpre "regra de ouro" na finança pública
Melhor que os outros – Existe uma máxima em finanças públicas de que os governos, para não cair em estado de insolvência, não devem custear despesas ...



É hora de fazermos uma mobilização via rede social, pois na verdade os Estados produtores de petroleo apenas deixarão de ganhar um pouco, o que não significa que perderão ou terão suas vidas financeiras inviabilizadas
 
antonio rezende em 27/11/2012 14:22:37
o mar é do Brasil, então o petróleo encontrado lá também é dele, moro no interior, minha cidade não tem praia, nem por isso sou menos brasileiro que os cariocas, que a distribuição dos royalties seja proporcional a população e ao inverso no grau de desenvolvimento do estado, AL e MA em primeiros e SP em último.
 
marcos barbosa em 27/11/2012 14:09:37
Porque os estados que serão benficiados com royalties e que aprovão a nova distribuição não fazem o mesmo protesto a favor, ou será que Rio de Janeiro, Espirito santo, são mais que os demais estado da Federação.
 
Edson Antonio Pereira em 27/11/2012 09:55:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions