ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 31º

Jogo Aberto

MS puxa fila da reforma da previdência

Por Marta Ferreira | 23/11/2017 06:00

À frente – Mato Grosso do Sul está entre os estados que, diante do impasse da reforma da previdência do Governo Federal, está se antecipando. O Distrito Federal fez a sua há 2 meses e outros estados, como Bahia, Minas Gerais e Pernambuco estão discutindo as mudanças.

Quase pronta – Em MS, a previsão é que as alterações, que chegaram na Assembleia no dia 31 de outubro, sejam aprovadas em segunda votação já na sessão desta quinta-feira. O objetivo é combater um deficit que passa dos R$ 80 milhões mensais.

Quero falar - Os deputados da bancada do PT questionaram o colega Onevan de Matos (PSDB), que estava presidindo a sessão na quarta-feira. O tucano anunciou que apenas dois deputados contra o projeto da reforma poderiam fazer discurso, o que gerou revolta de Cabo Almi e João Grandão, que também queriam usar a tribuna.

Está na regra - O tucano, então, explicou que no regimento da Assembleia, está previsto que em um projeto em discussão, deve se abrir espaço para que dois deputados a favor e dois contra possam discutir a matéria, antes da votação. Amarildo, no entanto, afirmou que já no seu terceiro mandato como deputado, nunca este artigo do regimento tinha sido exigido.

Nunca foi assim – Amarildo afirmou que sempre houve "espaço" para que todos pudessem apresentar suas opiniões sobre as matérias e viu no uso da regra uma tentativa de calar a oposição. "Só está sendo cobrado porque se trata da reforma da previdência".

Tumulto - Depois de muitas vaias e até moedas jogadas em deputados, durante a aprovação da reforma, em primeira votação, o deputado que presidia a sessão, chegou a pedir a evacuação do plenário, mas voltou atrás, depois que o clima ficou mais ameno no auditório.

Experiência própria - O deputado Renato Câmara (PMDB), ao justificar voto a favor da reforma da previdência, disse que tomou ações importantes neste sentido, quando era prefeito de Ivinhema e que depois de mudanças na legislação municipal, a cidade conseguiu se recuperar no fator previdenciário e segundo o peemedebista, hoje tem superávit. "Temos que ter a responsabilidade de admitir que precisa mudar a legislação".

Minutos – Por menos de meia hora, o nome de Carlos Marun figurou como ministro no Twitter do Planalto. Às 16h47, o microblog anunciava a posse dele na tarde de ontem. Às 17h11, a informação sumiu.

Errata - A posse do deputado Carlos Marun como ministro de Temer chegou a ser anunciada no perfil oficial do Planalto no Twitter, porém a postagem foi apagada momentos depois. Em nota, o Planalto afirmou que a gafe foi cometida por um funcionário terceirizado, que já foi advertido. "Lamentamos o equívoco", encerra.

(Com Leonardo Rocha, Nyelder Rodrigues e Osvaldo Junior)

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário