A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018

21/09/2018 09:25

Restaurante de menu mediterrâneo troca industrial pelo orgânico até na decoração

Nova casa tem argila no lugar de tinta das paredes e até adega é construída com material que havia sido descartado

Thaís Pimenta
Na parede, ao invés de tinta, argila, madeira reutilizada,  assim como painel em aço. Na parede, ao invés de tinta, argila, madeira reutilizada, assim como painel em aço.

Comida mediterrânea com "confort food" é a proposta de um novo restaurante aberto nesta semana em Campo Grande. O Zenzero Gastronomia promete deixar o industrializado de lado, tanto nos ingredientes, quanto na decoração do espaço, no Bairro São Francisco.

A ideia é resgatar o prazer de comer, sem perder a qualidade do que é servido. Por isso, os proprietários Manoel Eduardo de Sant'anna Corrêa e Cláudia Bacche optaram por elementos que resgatassem toda essa intimidade. 

Nas paredes, ao invés de tinta, argila. Ao invés de revestimentos, placas de aço descartadas ganham uma nova cara com finalização que imita o aço corten. A madeira que parece dividir em "quadros" as paredes já foram, no passado, postes parados em algum depósito de órgãos municipais.

O dry aged também é especialidade da casa.O dry aged também é especialidade da casa.

Nessa onda de reutilizar, gastar menos, reaproveitar, até mesmo a água da chuva passa por um sistema em que é reutilizada para limpar a área externa do restaurante. 

A adega é um contêiner com mosaico de vidros feitos a partir do descarte nos chamados "cemitérios" de grandes fábricas, e dá visão ao pé de goiaba aos fundos do restaurante. Durante a noite, a área externa recebe iluminação em tons de verde para valorizar o pé de goiaba. 

A leveza do ambiente se transfere para dentro da cozinha. De acordo com Manoel, os ingredientes frescos, são, em maioria, recolhidos de duas chácaras da família. "A gente busca trazer isso pra mesa. Legumes orgânicos, frescos". O que sobra não é jogado no lixo: vira compostagem que aduba a mesma terra de onde veio, completando o ciclo do desperdício quase zero.

"A gente se preocupou até com os detalhes. O nosso canudo, por exemplo, é feito de macarrão para também não ser descartado como plástico na natureza", completa.

Conteiner descartado vira adega ao fundo, que ganha painel em vidros descartados,Conteiner descartado vira adega ao fundo, que ganha painel em vidros descartados,

O cardápio é básico, como diz Manoel, a la carte ou, aos almoços, com a opção executiva. As diversas culinárias que compõe o Mediterrâneo, como as de Portugal, Espanha, França e Marrocos, têm pontos em comum quer ficam claores no menu: valorização dos produtos frescos, das frutas da estação, de um bom azeite, de raspas dos cítricos, do uso do manjeiricão.

"Nós separamos por ilhas. Temos chefs de diferentes locais. Juan veio das Ilhas Canárias, Geisel veio do norte, é manauara, o Alexandre é sul-mato-grossense e a Cristiane tem uma pegada mais italiana. Também tenho um chef só de carne, pantaneiro", elenca.

Cada ilha fica "especializada" em servir uma parte do a la carte, sejam pastas, massas recheadas, saladas e as carnes. Inclusive, esta última, tem destaque no restaurante. "Só vamos trabalhar com carnes nobres e ferradas, ou seja, ao invés de virem com a bandeirola, eu vem ferradas com o 'Z' do restaurante. São peculiaridades bem inerentes a minha cozinha".

Os patacones, um prato originalmente colombiano, feitos a partir de pedaços de bananas verdes fritas também estão no cardápio. "Teremos misturas saborosas como uma entrada refrescante de caprese na taça, ou o ceviche, que eu busquei fazer com base de guacamole, por exemplo".

No a la carte, o cliente vai deixar uma grana no restaurante, deve gastar em torno de R$ 80,00 a R$ 120,00. Já no almoço executivo, os valores vão de R$  32,00 até R$ 37,00, com direito a escolher o prato do dia ou a substituir a proteína por outra, o que aumenta um pouco o preço. Os acompanhamentos do executivo são gratuitos e rodam pelo restaurante, chegando de mesa em mesa. "Vou ter uma pessoa que vai ficar servindo risoto, funghi, saladas. São 10 opções de acompanhamento paa pessoa sair daqui satisfeita", finaliza.

O restaurante fica na Rua Dr. Arthur Jorge, 1479. Abre de ás 11h até às 14h, e das 19h às 22h nos dias de semana, se estendendo até 00h aos finais de semana.

Curta o Lado B no Facebook  e no Instagram.

Carpaccio é uma das entradas, também feito por eles.Carpaccio é uma das entradas, também feito por eles.


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.