A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

16/12/2017 08:13

Crianças de 8 anos exploram bairro e contam em livro a história do Cophatrabalho

As árvores, a escola e até um cantor famoso são descobertas importantes na história do bairro.

Thailla Torres
Alegria tomou conta de Bianca e Emiily ao receberem tantos elogios. (Foto: Paulo Francis)Alegria tomou conta de Bianca e Emiily ao receberem tantos elogios. (Foto: Paulo Francis)

Na escola Estadual Professora Hilda de Souza Ferreira, em Campo Grande, um grupo de alunos acabou de completar 8 e 9 anos e já conseguiu um feito e tanto: escrever um livro. A obra de 65 páginas conta a história do bairro Cophatrabalho, desde a sua criação, até personagens que foram colocados em pauta pelo próprios alunos, com ajuda dos pais e moradores antigos da região.

O livro é o desfecho de um desafio da professora Grasiella Alves, do 3º ano do Ensino Fundamental, em trabalhar com as crianças a história do bairro em sala de aula. Sem ter nascido ou morado na região, Grasiella começou a jornada para coletar informações e se deparou com a falta de registros até no ARCA (Arquivo Histórico de Campo Grande).

Graziela, professora que deu início ao projeto. (Foto: Paulo Francis)Graziela, professora que deu início ao projeto. (Foto: Paulo Francis)
Livro é vendido por R$ 45,00 na escola. (Foto: Paulo Francis)Livro é vendido por R$ 45,00 na escola. (Foto: Paulo Francis)

“Eu só encontrei informação policial e jornalística, mas informações históricas, de interesse dos alunos, não encontrei. Então eu pensei, por que não produzir esse material com os alunos, a partir de depoimentos de moradores do bairro?”, questionou a professora, que iniciou uma série de entrevistas com os moradores ao lado das crianças.

João Gabriel, de 9 anos, participou do levantamento das informações e ilustração do livro. E na noite de ontem (14) estava radiante com o lançamento marcado justamente no dia do seu aniversário. “Esse é o meu presente, porque eu ajudei a escrever, desenhar e conversar com os moradores. Estou muito feliz", afirma enquanto não parava de tirar fotos dos amigos.

Ao lado dele estava Felipe Henrique, entusiasmado com a fama repentina ao ser um dos autores. "Meus pais ficaram muito felizes porque eu já apareci na TV e agora tô ficando famoso", conta.

O projeto contou com visita e depoimento do cantor e compositor Geraldo Espíndola que se mudou para o bairro com toda a família em 1980. Foi uma das informações que deixaram os alunos ainda mais animados pela escrita. "Muitos ainda desconheciam que o bairro é morada para um cantor e compositor famoso e que leva o nome do nosso Estado para o mundo. Então acho que além da curiosidade, todas as informações vão ajudar outros professores no futuro e até outros moradores", descreve a professora.

João comemorava o aniversário no lançamento. (Foto: Paulo Francis)João comemorava o aniversário no lançamento. (Foto: Paulo Francis)

Mas não só de música vivem as estrelas do bairro. O livro narra histórias de moradores muito antigos, que chegaram ao Cophatrabalho ainda na década 70, ano de criação, erguido pela empresa Planoeste para ser um dos empreendimentos habitacionais que atendia ao trabalhador de pouca renda, mas que tinha o sonho da casa própria.

Cophatrabalho também foi o primeiro bairro da cidade a ser entregue aos moradores totalmente asfaltado e aos poucos foi cercado pela urbanização e progresso. Característica que chama atenção de Lívia Beatriz, de 8 anos, que já se preocupa com o desenvolvimento da região. "Gosto muito da pracinha e de subir no pé de manga que tem em frente a minha casa. Não gosto dos buracos no asfalto e das lojas que estão fechando. Isso está acontecendo muito", descreve.

Assim como Pietro Moreira, de 8 anos, que já fala em melhorias. "No bairro tem muito mato e eu não gosto. Acho que pode melhor. O que eu gostaria que tivesse aqui é um shopping onde tudo fosse barato. Como o bairro é tranquilo, eu posso brincar na rua com os meus amigos. Por isso gosto daqui".

Para o corretor de imóveis de imóveis, William da Silva, 44 anos, que nasceu ali e hoje é presidente da Associação de Moradores do Cophatrabalho, o registro é uma iniciativa para construir a identidade da região. "Muitas vezes a periferia é esquecida em seu contexto histórico. Mas saber tudo o que aconteceu desde a sua criação muitas vezes ajuda a entender a cultura e o comportamento da nossa região", afirma.

Os livros da editora Life foram financiados graças a doações de comerciantes e moradores da região. Por isso o livro está sendo vendido a R$ 45,00 e o valor arrecadado será investido em novos projetos para os alunos.

Quem tiver interesse em adquirir um exemplar, pode comparecer até a escola Estadual Professora Hilda de Souza Ferreira que fica na Rua Mangabeira, 28, Cophatrabalho. Ou entrar em contato com a editora pelo telefone (11) 3508-1941. 

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

 

Alunos do 3º ano B foram os artistas da noite. (Foto: Paulo Francis)Alunos do 3º ano B foram os artistas da noite. (Foto: Paulo Francis)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.