ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  27    CAMPO GRANDE 26º

Artes

Na expectativa pelo filme, Homem-Aranha entra em ensaio de noivos

Daniel Ribeiro é conhecido por inovar sempre e, no ensaio do sobrinho noivo, apelou para o Homem-Aranha

Por Ângela Kempfer | 02/12/2021 14:35
No alto do vagão, o super-herói tenta salvar a noiva do casamento. (Foto: Daniel Ribeiro)
No alto do vagão, o super-herói tenta salvar a noiva do casamento. (Foto: Daniel Ribeiro)

No alto de um vagão abandonado, surge o Spider-Man como super-herói que quer livrar a mocinha do casamento. A ideia do fotógrafo Daniel Ribeiro antecede um dos filmes mais esperados do ano: “Homem-Aranha: Sem Volta para Casa”.

Mas o projeto não tem nenhuma relação com o longa que estreia em 16 de dezembro. Premiado no Brasil e no exterior pela originalidade na cobertura de casamentos, ele foi desafiado e cumpriu a tarefa de surpreender.

Homem-Aranha e o véu que virou teia. (Foto: Daniel Ribeiro)
Homem-Aranha e o véu que virou teia. (Foto: Daniel Ribeiro)

No foco, estão o sobrinho Thiago e a noiva Juliana. Mas o protagonista é um vendedor de paçoca, que usa a roupa do Spider-Man, na tentativa de atrair os clientes na região da Júlio de Castilho. “Um dia, eu vi aquela figura e fiz umas fotos. Então, quando pensamos em algo diferente, a noiva lembrou daquele Homem-Aranha”, conta Daniel.

O fotógrafo fez o convite e, em troca de vídeos e imagens para o vendedor usar como divulgação, ele aceitou a empreitada.

A aventura durou um dia, a cerca de 70 km de Campo Grande, na estação ferroviária perto de Ribas do Rio Pardo. “Meu avô era ferroviário e muita gente me conhece até hoje por isso. Então, consigo acesso a esses lugares que são incríveis”, explica.

Foto que rendeu prêmio da Copa Mundial de Fotografia. (Foto: Daniel Ribeiro)
Foto que rendeu prêmio da Copa Mundial de Fotografia. (Foto: Daniel Ribeiro)

No lugar da teia, um véu de 10 metros, mas não qualquer véu. “Já ganhei mais de 300 prêmios com fotos e nas principais, foi usando esse véu, que eu ganhei do ateliê Anel de Noiva. É o meu véu da sorte”, brinca.

O título mais recente, ele ainda nem recebeu, vai até Roma ganhar a medalha de prata da Copa Mundial de Fotografia de 2020, que teve a participação de profissionais de 44 países. E ele já é finalista da Copa de 2021, com imagem postada aqui no Lado B.

O fotógrafo inventou uma forma diferente de usar as alianças durante os ensaios. (Foto: Daniel Ribeiro)
O fotógrafo inventou uma forma diferente de usar as alianças durante os ensaios. (Foto: Daniel Ribeiro)

Pelo mundo, ficou conhecido como o "fotógrafo das alianças" por usar o par de anéis de forma criativa, gigantes, ou explorando ângulos e proporções. “Mas não foi essa a minha foto mais copiada no mundo. A mais copiada é a que mostra um maquiador e uma noiva entre um ring light”

Imagem pensada por Daniel e copiada mundo afora. (Foto: Daniel Ribeiro)
Imagem pensada por Daniel e copiada mundo afora. (Foto: Daniel Ribeiro)

O desenhista, que descobriu a fotografia há 13 anos, agradece a coragem de cada casal que aceitou os desafios sugeridos por ele. Hoje, além de fotografar, é professor de cerca de 100 alunos pelo mundo e compartilha cada lição sobre luz, foco e inovação. “Evolução acontece só se você quiser que aconteça. Por isso, eu consigo hoje ser tão feliz no que eu faço e continuar criando sempre”, diz.

Daniel ao centro, em um dos maiores congressos de fotografia do mundo.
Daniel ao centro, em um dos maiores congressos de fotografia do mundo.



Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário