ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 15º

Artes

Referência na música regional, violonista Caxingue morre aos 65 anos

Músico teve uma parada cardíaca na manhã de hoje, decorrente de um problema renal que enfrentava há 3 anos

Por Mylena Fraiha | 15/04/2024 17:10
Antonio Manoel Pereira Guimarães, mais conhecido como Caxingue, posa com seu principal instrumento: o violão (Foto: Arquivo pessoal)
Antonio Manoel Pereira Guimarães, mais conhecido como Caxingue, posa com seu principal instrumento: o violão (Foto: Arquivo pessoal)

A música sul-mato-grossense está de luto. Aos 65 anos, o músico e multi-instrumentista Antonio Manoel Pereira Guimarães, mais conhecido como Caxingue, morreu na manhã desta segunda-feira (15). O músico teve uma parada cardíaca na Santa Casa de Campo Grande, decorrente de um problema renal que enfrentava há três anos.

Caxingue nasceu em Corumbá, a 428 km da Capital, e recebeu o apelido por subir nas árvores, assim como o Caxinguelê, uma espécie de esquilo florestal. Exímio violonista e guitarrista, ele era autodidata e aprendeu a tocar violão ainda criança. Já na adolescência, aos 14 anos, ele já era contratado como músico profissional.

Em 1991, o violonista saiu de sua cidade natal para tentar a vida na Capital. Compartilhou o palco com muitos músicos do Estado, como a cantora Juci Ibanez, o cantor, compositor e produtor Zé Geral, Banda Pelego, MJ6, Grupo Terra Branca, Grupo Aqueles Caras e vários nomes de renome em Mato Grosso do Sul.

A cantora Juci Ibanez também é uma das pessoas que compartilhou os palcos por muito tempo com Caxingue e relembra com carinho dos momentos. “Foram 25 anos de parceria. Nós viajamos pela América Latina, fomos para a Europa. Foi uma parceria de muito tempo. Ele era um músico virtuoso”.

O cantor, compositor e produtor Zé Geral, idealizador do “Sarau Zé Geral”, também relata que Caxingue foi um grande parceiro e um multi-instrumentista talentoso. O produtor explica que começaram a tocar juntos em 1995. “Ele dominava o violão, dominava a guitarra, e depois começou a tocar baixo, lá no sarau. Ele era o pulmão do Sarau Zé Geral, uma grande perda”.

Recentemente, ele dividia o palco com o cantor e compositor Carlos Lima, com quem toca há mais de 28 anos. Carlos explica que Caxingue precisou ser internado no sábado (7) devido aos problemas renais. “No caso dele, não havia mais possibilidade de transplante, infelizmente”.

Em nota publicada nas redes sociais, a FCMS (Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul) lamentou a morte do músico.

Homenagem feita pela Fundação de Cultura nas redes sociais (Imagem: Reprodução/Instagram)
Homenagem feita pela Fundação de Cultura nas redes sociais (Imagem: Reprodução/Instagram)

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias