ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUARTA  01    CAMPO GRANDE 29º

Artes

Indígena transforma cores e formas dos Kadiwéu em moda

Por Paula Vitorino | 29/11/2011 14:06

Estudante de Design apresenta nova coleção amanhã, em apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso. Ela faz planos para montar grife própria depois de formada

Benilda (ao lado esquerdo) com a modelo vestindo uma de suas criações durante desfile na Capital no início do ano. (Foto: Divulgação)
Benilda (ao lado esquerdo) com a modelo vestindo uma de suas criações durante desfile na Capital no início do ano. (Foto: Divulgação)

Na passarela, a estudante de Design Benilda Vergílio, de 23 anos, mostra as cores de sua etnia e sonha em criar a própria grife. A indígena quer ser design de moda para mostrar os traços da cultura Kadiwéu em suas coleções.

“As peças são inspiradas nos Kadiwéu e em todos os indígenas do Brasil”, diz.

Nesta quarta-feira (30), ela apresenta a nova coleção de vestidos durante a banca de conclusão de curso. Com isso, ela fecha a etapa de estudante e já faz planos para a carreira de design.

“Quero montar meu próprio ateliê, com meus materiais e vender o meu trabalho. Depois de formada é esse meu sonho”, deseja.

Ela pretende ficar em Campo Grande e dar o nome de Benilda Kadiwéu para a grife, que ainda não tem local ou patrocínio para ser criada.

Para a apresentação de amanhã, a estudante preparou quatro modelos de vestidos. Além da inspiração indígena, a estudante também contou com a moda dos anos 60 para compor as peças.

A cultura Kadiwéu ainda vai marcar presença nos rostos das modelos, com as pinturas típicas da etnia. “As pinturas são utilizados pelos Kadiwéu para guerrear e mostrar se a pessoa está triste ou alegre”, explica.

Para a confecção dos vestidos ela utilizou cerca de R$ 330, que conseguiu por meio de parceria com o Projeto Rede de Saberes, que presta apoio a permanência de indígenas na universidade.

As peças são confeccionadas com materiais diversos, são vários reciclados e característicos da região.

A nova coleção será exposta em desfile no dia 17 de dezembro, em Bodoquena, onde fica sua aldeia, Alves de Barros. A estudante também participou de outros eventos de moda como convidada e foi destaque na coluna Estilo Iesa, do Jornal do Brasil.

Benilda diz que desde criança gostava de “brincar de estilista” e com o curso de Design pode aperfeiçoar o dom.

Roupas da estilista.
Roupas da estilista.