ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 29º

Comportamento

Debaixo de ingazeiro, Maria casa com um “golpe” que virou amor

Ela achou que seria cupido de Alefe, mas ele deu “golpe” certeiro e abriu os olhos dela para o real sentimento

Por Thailla Torres | 25/01/2022 08:36
Fotos mostram a felicidade do casal, que está junto há 2 anos. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Fotos mostram a felicidade do casal, que está junto há 2 anos. (Foto: Ste Gomes Fotografia)

A história da médica Maria Fernanda Jardim Barros Pureza, de 25 anos, e do acadêmico de Medicina Alefe Cespedes Pureza, 23 anos, é mais uma daquelas ironias da vida gostosa de contar, para provar que não existe receita certa sobre o amor. Acredite, Maria casou com um “golpe”.

Mas ao invés de perder dinheiro nesse golpe, ela ganhou um amor e uma história divertida que vai poder contar para sempre e dar muita risada.

Os dois se conheceram em um grupo cristão da faculdade. Ela via o Alefe e pensava com quem ele combinava para apresentá-lo a alguma amiga, isso porque Maria sempre teve a mania de tentar ser cupido das pessoas que amava. “Só que meses depois, caí num golpe”, conta rindo.

Os dois casaram debaixo de ingazeiro lindo. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Os dois casaram debaixo de ingazeiro lindo. (Foto: Ste Gomes Fotografia)

Ele a chamou junto com a "turma" para ir a um evento científico na UFMS, mas, no dia, ninguém apareceu, claro. “Nós conversamos horas, algo que nunca tinha acontecido e eu passei a enxergar o Alefe como um homem, alguém que eu poderia dividir meus dias. Não paramos de rir e conversar muito desde esse dia”.

Pouco tempo depois do melhor e mais divertido golpe que Maria levou, veio o namoro. “No começo, já falávamos de casamento de forma saudável, sem expectativas ou desejos precipitados”, diz.

Mas com um ano de namoro, já era muito difícil se despedir e cada um ir para casa sem dividir os dias e as noites. “Decidimos casar quando vimos como propósito estar um na vida do outro”, lembra Maria.

Noiva escolheu se arrumar sozinha antes da cerimônia. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Noiva escolheu se arrumar sozinha antes da cerimônia. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Para ela, sua entrada foi um dos momentos mais emocionantes. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Para ela, sua entrada foi um dos momentos mais emocionantes. (Foto: Ste Gomes Fotografia)

Por serem duas pessoas de muita fé, o luxo era o que menos importava para Maria e Alefe. “Decidimos por aquilo que se comunicou com nosso coração. Queríamos um lugar onde sentíssemos uma conexão com Deus, queríamos uma cerimônia simples e bonita, que mostrasse o presente que pra nós é se tornar família. Na nossa festa, queríamos celebração, porque nossa casa será cheia de alegria”.

Até a semana do casamento, eles tinham tido poucos problemas, tudo estava aparentemente perfeito e organizado, mas quando chegou a bendita semana, o mundo parecia desabar em perrengues, que eles preferem nem entrar em detalhes por envolver terceiros.

Mas a fé do casal é tão forte, assim como a amizade que eles têm com pessoas especiais, que fizeram de tudo para o casamento acontecer do jeitinho que eles queriam. “Nesse tempo, a gente buscou ter paz e alegria, diferente do que a costumávamos sentir nos momentos de angústia, usamos o momento para o amadurecimento”.

A felicidade dela antes de colocar o vestido de noiva. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
A felicidade dela antes de colocar o vestido de noiva. (Foto: Ste Gomes Fotografia)

Ela se arrumou sozinha – No dia da cerimônia, outra surpresa. Maria preferiu se arrumar sozinha, sem aquele quarto lotado de familiares e madrinhas durante a preparação. “Foi meu último dia sozinha, eu sabia que a partir do sim, isso jamais aconteceria, porque eu seria uma só com ele. Foi um momento de extrema gratidão pelo que viria e reflexão”.

Ela diz que também seria difícil decidir que amiga ou parte da família ficariam no salão. “Eu também amo estar com as mulheres que me cercam. O mais legal foi que quando estava me arrumando, chegou a minha melhor amiga da faculdade, ela não sabia que eu ia me arrumar lá, ficou comigo um tempão, nós demos muita risada, foi um momento especial”.

Depois da arrumação e das fotos de making of, Maria partiu para o casamento, pertinho da natureza, como ela escolheu. Casou embaixo de um ingazeiro com anos de existência na Estância das Orquídeas.

“O mais emocionante foi a minha entrada. A música foi uma oração nos dias maus pra gente continuar – Tudo é Pra Tua Glória, de Rapha Gonçalves –, escutar ela ali, um instrumental tão lindo, em um momento de tanta alegria, sustentou todo o significado de tudo o que ela diz”.

Por fim, apesar dos perrengues, os dois amaram cada detalhe do casamento. “Foi muito melhor do que a gente esperava, e nossas expectativas já eram altas. Se pudéssemos, casaríamos mês que vem de novo, do mesmo jeitinho”, finaliza a noiva. Isso é o que a gente chama de golpe certeiro, senhor Alefe. Felicidades ao casal!

O beijo feliz após o "sim" tão esperado. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
O beijo feliz após o "sim" tão esperado. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Noivos e madrinhas. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Noivos e madrinhas. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Abraço emocionante entre sogro e genro. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Abraço emocionante entre sogro e genro. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Abraço emocionante entre pai e filho. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Abraço emocionante entre pai e filho. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Leitura dos votos. (Foto: Ste Gomes Fotografia)
Leitura dos votos. (Foto: Ste Gomes Fotografia)

Curta o Lado B no Facebook e Twitter. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias