A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018

16/02/2018 08:13

História de amor que começou no intercâmbio tem pedido de casamento fofo

Ande pediu a mão de Isabela assim que a engenheira chegou para visitá-lo, depois de quatro anos juntos

Thaís Pimenta
Isabela e Ande em uma das viagens juntos pela viagem no Chile. (Foto: Acervo Pessoal)Isabela e Ande em uma das viagens juntos pela viagem no Chile. (Foto: Acervo Pessoal)

Em 2014, a estudante de Engenharia Isabela Maia foi estudar inglês nos Estados Unidos e conheceu muitas pessoas de nacionalidades diferentes. Dentre elas, Ande Bagdasarian, o homem por quem se apaixonou e com quem vai se casar. Por conta da distância, a história de amor passou por altos e baixos até que o casal decidiu de uma vez por todas ficar junto. Os dois conversavam sobre se casar, mas Isabela nunca imaginou a surpresa que estava por vir. Quando desembarcou para visitar o namorado, no dia 28 de janeiro, foi surpreendida com o pedido no Aeroporto.

Isabela não se deu conta até que Ande surgiu de traz de um pilar, dentro do Aeroporto de Orlando, com o anel. Ajoelhou e perguntou se ela aceitava se casar com ele. “Fiquei muito surpresa, muito feliz, não acreditava que aquele momento tava acontecendo! Eu só dava risadas e aí agarrei ele”, conta ela, relembrando o momento.

Por incrível que pareça, o relacionamento começou em uma festa de um amigo árabe de Isabela, em janeiro, na cidade do noivo, Tallahassee. “Ele me apresentou o Ande. O que eu não sabia era que o Ande não tinha sido convidado pra festa, ele estava voltando de um show, ouviu o barulho do vizinho, bateu na porta e pediu pra entrar. Meu amigo deixou e durante a festa o Ande veio falar comigo”. Lá, eles ficaram, trocaram os números de telefone e marcaram de almoçar juntos na outra semana.

O casal celebrando o noivado. (Foto: Acervo Pessoal)O casal celebrando o noivado. (Foto: Acervo Pessoal)

O almoço foi um tanto engraçado. “Como faziam quatro meses que eu estava no EUA, não falava tudo perfeitamente. Então a gente teve que tentar traduzir algumas palavras”. Desde o primeiro dia rolou uma conexão forte entre os pombinhos. “Achei ele um cara engraçado e com cara de brasileiro”.

O namoro oficializado só veio no Halloween, nove meses depois. “Como tínhamos muita coisa da faculdade aqui, a gente só se via fim de semana no começo, aí tivemos férias, ficamos mais juntos mas o namoro mesmo só começou em outubro oficialmente porque ele me apresentou como namorada pros amigos. Aqui eles não têm costume de 'pedir em namoro' então foi nesse dia que a gente começou a se chamar de namorados”.

A distância começou a incomodar em dezembro, quando Isabela voltou pra Campo Grande. Em março de 2015 a primeira e única separação do casal aconteceu porque eles acharam que seria muito difícil e também muito caro se verem. "Paramos de conversar mas não aguentamos e em julho já estávamos puxando papo um com o outro", conta. Em agosto eles se decidiram: tinham que ficar juntos mesmo.

O casamento deve vir daqui um ano e, enquanto isso, Isa continua na Capital. "Vamos começar com o processo de mudança de visto, de turista pra noiva! O processo é bem demorado então planejamos casar ano que vem, assim que o novo visto estiver pronto, então eu me mudo pra cá".

Por enquanto, o casal não está ansioso mas eles têm certeza de que mais pra frente só conseguirão pensar no casório. Morar no Brasil é uma possibilidade, mas não por agora. "Cogitamos sim ir morar no Brasil mas ele termina o PhD só em 2022. Será mais fácil eu vir pros EUA, já que já falo inglês e ele não fala português". 

Confira o momento do pedido:

Curta o Lado B no Facebook  e no Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.