ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 20º

Comportamento

Nada de celular, último ano fez fotos impressas voltarem ao pódio

Depois de um ano difícil, famílias viram nos momentos simples a chance de registrar a vida em álbuns impressos

Por Bárbara Cavalcanti | 31/08/2021 07:32
Fotos sendo impressas em gráfica profissional. (Foto: Clan Color)
Fotos sendo impressas em gráfica profissional. (Foto: Clan Color)

Quando a filha da publicitária Mariana Zortea, de 34 anos, completou o primeiro ano de vida, a mãe viu na ocasião uma oportunidade de fazer um álbum impresso de fotos da bebê. Mas a ocasião foi apenas o início para Mariana querer registrar outros momentos marcantes da vida, também em álbuns impressos. “Acho que é um jeito muito mais legal de ver as fotos, é outra experiência”, detalha.

O hábito de imprimir fotos não é mais tão comum quanto já foi, o que Mariana também reforça. “O começo foram as fotos da minha filha, mas foi só a oportunidade mesmo, depois desse, já expandi para outras ocasiões também”, comenta.

E a “coleção” de álbuns de fotos de Mariana não fica apenas nas ocasiões de família. “Eu já, inclusive, até revelei algumas fotos e dei de presente. É algo diferente, não é mais tão comum quanto era antes, então, é uma opção bem legal”, detalha.

Coleção de álbuns de Mariana. (Foto: Arquivo Pessoal)
Coleção de álbuns de Mariana. (Foto: Arquivo Pessoal)

Depois do álbum da filha, o apreço pelas fotos reveladas só cresceu, e Mariana ainda diz que o registro impresso é um hábito que ela pretende manter e continuar expandindo para outras ocasiões. “Na hora de revelar, você pensa muito mais nas fotos que você vai escolher. Também não é uma coisa que você precisa fazer de uma vez, nem toda hora, talvez uma, duas vezes ao ano”, explica.

O empresário Fabrício Martins Miranda, de 35 anos, atua na área e comenta sobre como as pessoas muitas vezes não se dão conta da importância da lembrança por meio de uma imagem, uma vez que hoje, tudo é resolvido pelo celular. “Uma vez, chegou aqui uma cliente que tinha perdido todas as fotos do celular. Ela conseguiu recuperar, mas então ela entrou em pânico de perder tudo de novo e mandou imprimir todas as fotos que ela tinha, quase 900”, comenta.

Assim, o ideal é ter uma parte analógica de momentos mais marcantes. “Hoje, ainda é comum as pessoas fazerem álbuns de aniversários ou casamentos. Mas é sempre bom ter uma parte revelada, em um álbum mais simples. E tem também coisas mais criativas, como, por exemplo, polaroids ou que viram imã na geladeira”, detalha.

Fotos impressas em formato de polaroids. (Foto: Clan Colour)
Fotos impressas em formato de polaroids. (Foto: Clan Colour)

O fotógrafo André Bittar, de 29 anos, começou a se dedicar há alguns anos à fotografia selvagem e inclui como parte de seu trabalho impressões ampliadas de suas fotografias. “Para mim, a fotografia só termina na parede. Hoje, inclusive, tem papéis que duram 100 a 150 anos, então, aquela foto dura ainda muito mais”, comenta.

Ainda no caso de André, como ele fotografa a vida selvagem, ver suas fotos impressas acaba criando uma reflexão ecológica. “Quando eu vejo meu quadro, além da felicidade de ver minha foto, penso também muito nisso de perpetuar o bioma que a gente vive hoje”, acrescenta.

Uma das fotos de André impressa em um quadro. (Foto: Reprodução Redes Sociais)
Uma das fotos de André impressa em um quadro. (Foto: Reprodução Redes Sociais)

Na Capital, é possível fazer a revelação de fotos em uma das lojas da Clan Color. Os preços variam de acordo com o tamanho, o tipo de álbum e a quantidade de fotos. É possível imprimir acima de 100 fotos, no tamanho 10cmx15cm por R$1,27 a unidade. A loja também oferece impressões diferenciadas, como por exemplo, fotos em estilo polaroid no valor de R$ 1,98 acima de 50 fotos.

Quem é mais confiante, pode encarar pedidos de impressão de fotos por meio de sites. Um deles é o NicePhotos, que é um dos maiores sites no ramo. Há pacotes de 150 fotos no tamanho 10cmx15cm a partir de R$ 0,50 a unidade, sem calcular o valor do frete, que pode ficar a partir de R$ 20 com prazo de entrega de 11 dias.

Já os quadros oferecidos por André são totalmente personalizados e os valores e tamanhos são conversados direto com o fotógrafo no telefone (67) 99832-0844.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário