A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

11/04/2018 08:52

Paulo compartilha história pessoal de luta contra tentações do dinheiro fácil

Ele descobriu amor pela literatura e todos os dias sai pelas ruas do Brasil falando de superação

Thaís Pimenta
Com humildade, ele se apresenta a cada motorista, conta sua história e espera receber qualquer doação em troca. (foto: Thaís Pimenta)Com humildade, ele se apresenta a cada motorista, conta sua história e espera receber qualquer doação em troca. (foto: Thaís Pimenta)

Dos 44 anos da vida do paulista Paulo Milhan, 14 deles foram atrás das grades. Com três prisões pelo mesmo motivo, o tráfico de drogas, foi dentro do cárcere que o ex-traficante descobriu o poder da escrita e da literatura. Quando se interessou em escrever um poema para participar de um concurso dentro da Penitenciária II de Itapetininga, as coisas começaram a mudar. "Eu tinha uma menina por quem eu era apaixonado, a Jaqueline, e escrevi para ela aquelas palavras, mas ela não teve interesse em mim porque estava preso", conta ele.

O despertar para uma nova habilidade fez o rapaz enxergar uma possibilidade para além de voltar para o tráfico de drogas, como havia feito há cada liberação anterior. Com o apoio dos colegas de cela, ele viu que o que escrevia poderia ser interessante e ter qualidade. "A cada novo episódio, eu lia para eles, até para os que não tinham nenhum interesse por literatura. Eles não tinham porque pagar madeira pra mim mas era eu anunciar um novo capítulo que eles paravam tudo e até desligavam a TV".

Do primeiro poema, nasceram seis livros, sendo que dois deles já estão publicados, os "Tarde demais para acreditar o amor" e " Amante virtual". "Escrevi cinco deles na prisão. O que me inspira e o que me move é realmente esse sentimento,acho que todo mundo já viveu alguma história inspiradora". 

A primeira publicação foi por meio de uma editora particular mas depois de algumas desavenças com a contratante, Paulo foi atrás da documentação para abrir a sua própria editora, a Milhan, em 2013 - mais uma vitória contra a dúvida constante e a vontade do dinheiro fácil vindo do tráfico de drogas. 

Debaixo do sol ele fica todos os dias e diz que não troca sua vida por outra mais fácil. (foto: Thaís Pimenta)Debaixo do sol ele fica todos os dias e diz que não troca sua vida por outra mais fácil. (foto: Thaís Pimenta)

Foi durante esse desentendimento que Paulo experimentou pela primeira vez trabalhar com o audiovisual para se lançar na internet, exibir sua história e seu trabalho, para poder atingir mais pessoas na Bienal de São Paulo em 2012. "Essa editora convidou alguns autores para ir a feira e eu, encantando com a possibilidade, investi tudo que tinha para ir. Só que no caminho eu pensei que seria só mais um no meio de tantos outros escritores e me veio a ideia de fazer um vídeo para atrair as pessoas para procurarem por mim no evento", conta.

Ele completa: "o pessoal da Vision Filmes me ajudou a elaborar um curta sobre a minha trajetória, com pouco dinheiro, cerca de R$ 2 mil. Convidei amigos para atuarem e descobri que também gostei muito daquilo. O resultado do que foi gravado está no YouTube com o nome Prelúdio da Liberdade, um material escrito por mim, de 30 minutos".

O investimento lhe rendeu um convite para deixar algumas edições do "Tarde Demais para Acreditar no amor" em uma livraria do Rio de Janeiro.

Imagem do Prelúdio da Liberdade. (Foto: Reprodução)Imagem do "Prelúdio da Liberdade". (Foto: Reprodução)

O Lado B conheceu Paulo vendendo suas poesias no semáforo da Calógeras com a Fernando Corrêa da Costa. "Aceito qualquer moeda em troca do folder em que apresento meu primeiro poema, o escrito para Jaqueline".

É na rua que ele encontra o dinheiro necessário para sobreviver, debaixo do sol de 40º da Capital, vendendo suas poesias e seus livros, sempre se apresentando como ex-presidiário. "Se me oferecerem um emprego com carteira assinada, pra ficar no ar condicionado, pra eu ganhar de 2 a 3 mil reais eu nego porque tiro isso em média fazendo dinheiro na rua, de forma digna, e estou movimentando a minha carreira, trabalhando para mim".

Segundo ele, todos os 104 exemplares dos livros que trouxe de São Paulo para vender na Capital sul-mato-grossense foram vendidos. "Vou pedir pra minha família me mandar mais alguns", completa Paulo.

Paulo quer que Amante Virtual vire filme. (Foto: Divulgação)Paulo quer que Amante Virtual vire filme. (Foto: Divulgação)
Primeiro livro publicado pelo autor. (Foto: Divulgação)Primeiro livro publicado pelo autor. (Foto: Divulgação)

Itinerante, nascido em Sorocaba, Paulo planeja ficar aqui por mais um mês e depois ir pra Goiás. Nos dias de inverno ele quer conhecer o Nordeste do Brasil para fugir do frio e espalhar seu talento para uma outra região do país. "Meu trajeto geralmente é Campo Grande e São Paulo, mas eu vendo muito mais aqui".

O próximo passo de Paulo é publicar a sua terceira obra, "Rosa Amarela Como Prova de Um Amor", o segundo livro que escreveu, inspirando em sua primeira história de amor. O maior sonho do escritor é poder transformar sua primeira publicação em filme. "As pessoas me passam esse feedback, que ao lerem o livro sentiram que ele combinava com cinema e eu gostei muito da primeira experiência com isso. Quando eu deixar o roteiro perfeito e encontrar patrocínio vai sair. Mas pode ter certeza que você ainda vai ver esse filme por aí", diz ele, determinado.

As publicações de Paulo podem ser encontradas no site  de sua editora ou em versão de e-book na Saraiva e Amazon. Cada um custa R$ 30.

Curta o Lado B no Facebook  e no Instagram.

História de vida de superação diária faz de Paulo um exemplo de determinação. (Foto: Thaís Pimenta)História de vida de superação diária faz de Paulo um exemplo de determinação. (Foto: Thaís Pimenta)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.