A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018

08/02/2017 06:25

Ainda sobre os desenhos de arquitetura do passado...

Ângelo Arruda
Afro Puga e Cyríaco Maymone.Afro Puga e Cyríaco Maymone.

Em 1940, a Prefeitura Municipal contratou seu primeiro desenhista profissional: Afro Puga (1913- 1984), paulista de Ribeirão Preto que chegou a Campo Grande em 1935 para servir ao Exército, era diplomado em Desenho Industrial e fez especialização de marcenaria em São Paulo.

Afro Puga foi, durante muitos anos, um grande colaborador para a implantação do Serviço Nacional da Indústria – Senai, em Campo Grande, tendo inclusive chegado ao cargo de delegado regional em 1960, antes de ser assistente técnico e subdiretor da Escola Técnica.

Jairo Faracco.Jairo Faracco.

A partir de depoimentos de seus familiares, pudemos reconstituir um pouco da trajetória de Puga em Campo Grande. Desenhista e projetista desde os anos 40, Afro Puga projetou a residência de Bráulia Solari, na Rua Barão do Rio Branco, em 1944, diversos sobrados na Rua Cândido Mariano e na Rua XV de Novembro, além do loteamento Jardim Monte Castelo, para Cícero de Castro Faria, nos anos 50. Ainda nos anos 50, fez o projeto do pátio do Colégio Auxiliadora que foi edificado pelo engenheiro Arlindo de Sampaio Jorge.

Na condição de desenhista da Prefeitura Municipal, lotado na Secretaria de Obras, Afro Puga fez diversos estudos para obras de reforma e de ampliação de unidades escolares e de saúde. No Senai, foi um dos responsáveis pela instalação da Escola Técnica, construída em 1948, cujo projeto foi elaborado em São Paulo, sob a supervisão construtiva do engenheiro Falcão Bauer, um de seus grandes amigos.

Em 1946, outro desenhista desponta em Campo Grande, ainda com seus 15 anos de idade: era Cyríaco Maymone Filho - filho do italiano Cyríaco Maymone, que aprendeu o ofício do desenho com o engenheiro Amélio de Carvalho Baís.

Contemporâneo de Cyríaco Maymone foi Haroldo Tavares, nascido em São Paulo e que tinha escritório no Ed. Nacao, na Rua 14 de Julho, responsável pela introdução da técnica do desenho com aerógrafo, usando sistema colorido, em plantas de decoração e de perspectivas, segundo depoimento do arquiteto Rubens Gil de Camillo, que foi um de seus auxiliares antes de se formar em arquitetura.

Haroldo Tavares veio para Campo Grande como desenhista da Companhia Imobiliária Brasil (Cibrasil), implantar loteamentos e construção de casas com plantas sugestivas, por ele elaboradas.

No início dos anos 50, Jairo Faracco, desenhista formado em São Paulo com Lamartine Oberg, iniciou sua trajetória em Campo Grande, em escritórios de agrimensura, com uma rápida passagem pelo setor de obras do exército.

Ainda sobre os desenhos de arquitetura do passado...

Através de depoimentos dos profissionais, registramos ainda os nomes dos desenhistas que trabalhavam em Campo Grande nos anos 50 e 60, Nelson Senne Martins, Genésio Medeiros, José Pedrasa – funcionário da Prefeitura municipal-, Sidney Gomes e de Jonis Abrão, dentre outros.

Ainda sobre os desenhos de arquitetura do passado...
Ainda sobre os desenhos de arquitetura do passado...
Ainda sobre os desenhos de arquitetura do passado...


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.