ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 26º

Diversão

Cordão Valu abre com manifesto para fortalecer Carnaval de Campo Grande

Cordão comandado por trio elétrico sai pela Avenida Calógeras, vira na Antônio Maria Coelho e dobra na 14 de Julho até chegar na Esplanada.

Por Gabriel Neris e Thailla Torres | 02/03/2019 16:59
Multidão toma conta da Esplanada Ferroviária (Foto: Henrique Kawaminami)
Multidão toma conta da Esplanada Ferroviária (Foto: Henrique Kawaminami)

O Cordão Valu, um dos principais blocos do Carnaval campo-grandense, abriu a festa neste sábado (2) com alergria, mas também com protesto. Centenas de pessoas já estão na Esplanada Ferroviária para acompanhar o bloco.

O trajeto do bloco foi alterado por determinação da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). O cordão comandado por trio elétrico sai pela Avenida Calógeras, vira na Antônio Maria Coelho e dobra na 14 de Julho até chegar na Esplanada.

A fundadora do bloco, Silvana Valu, lamentou que outros blocos independentes não conseguiram alvará para a festa deste ano. “Carnaval não é alvará, é alegria. As manifestações carnavalescas não merecem repressão”, afirmou.

Segundo ela, o cordão só conseguiu ir para as ruas através de muita luta. A fundadora pede que a população respeite o horário estipulado para o fim da festa, às 22h. “Estão diminuindo o Carnaval de Campo Grande, a manifestação popular, o direito de liberdade de expressão”, afirmou.

A agente comunitária Ane Margareth, de 50 anos, contou que esta é a primeira vez que participa da festa em Campo Grande. “Não tinha necessidade de vir, mas estou feliz pela festa”.

A professora Luciene Bicudo, de 41 anos, contou que vai ao cordão há seis anos com a família e pede que a festa não acabe. “Virou tradição, não pode tirar o Carnaval da Esplanada”, afirmou.

As barracas de comida e bebida estão concentradas na Avenida Mato Grosso, entre Calógeras e Rua 14 de julho. O trecho foi interditado para que os ambulantes possam trabalhar. Foliões com mochilas e caixas térmicas estão sendo revistados para que ninguém entre com vidro ou outros objetos cortantes.