A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 26 de Junho de 2019

03/06/2019 09:11

Em tarde de "fraldada", mães garantem que conforto não é descartar

Pais participaram do Fraldada Campo Grande, realizada ontem no Parque das Nações Indígenas

Alana Portela
Fraldas recicláveis foram expostas para os participantes conhecerem (Foto: Marina Pacheco)Fraldas recicláveis foram expostas para os participantes conhecerem (Foto: Marina Pacheco)

Pensando na economia, sem deixar a natureza de lado, mães participaram do “Fraldada Campo Grande” neste fim de semana, no Parque das Nações Indígenas. Na onda ecológica, elas montaram um varal de fraldas expondo os diferentes tipos e como o uso pode ser bom para todo mundo.

A designer Tarita Prem está grávida da Aurora e já pensa no futuro da filha que vai nascer. “Vou usar pela sustentabilidade, pois tenho consciência de que a fralda descartável, assim como muitos consumos nossos, são impróprios para a realidade que estamos vivendo. Deixar um mundo melhor”, afirma.

A psicóloga Viki Azambuja também esteve no encontro e levou a filha de um ano e nove meses, "profunda conhecedora" da fralda ecológica. “Conheci as fraldas quando estava grávida e hoje uso elas. Faço isso pensando na natureza e na minha filha, porque é mais aconchegante e confortável para vestir”, contou.

Jaqueline Silva fala dos benefícios das fraldas recicláveis (Foto: Marina Pacheco)Jaqueline Silva fala dos benefícios das fraldas recicláveis (Foto: Marina Pacheco)

A administradora Jaqueline Silva foi uma das organizadoras do encontro e mostrou os forros internos das fraldas. Tem o de tecido suede que imita a textura camurça e é macio, o de fibra de café tecido semi sintético e o dry fit, feito com tecido sintético composto por poliéster, poliamida e elastano.

“Os forros internos dão o toque seco ao bumbum e evitam assaduras. É uma inovação. A parte externa da fralda é produzida com tecido pull, que é impermeável, porém deixa a pele respirar. Costumo dizer que parece uma roupa porque é um tamanho único e ajustável, diferente da roupa mesmo que compra e precisa trocar porque o bebê cresceu. Por ter um ajuste serve para a criança de 3 a 15 quilos”, explica.

As fraldas vêm com um absorvente que pode ser retirado para lavar. “As calças têm uma abertura interna e dentro coloca esse absorvente, que é dobrado e fica com quatro camadas. Existem as possibilidades de uso, as mães podem colocar o pano por baixo do forro ou por cima”, disse.

Jaqueline fala como as mães podem lavar as fraldas ecológicas. “Após a criança fazer suas necessidades fisiológicas, enxague o absorvente para retirar o excesso da sujeira e coloque para lavar junto com as roupas do bebê, essa é uma dica para otimizar as lavagens. Se precisar, dá uma esfregada com as mãos e depois bata na máquina”

 

(Foto: Marina Pacheco)(Foto: Marina Pacheco)
(Foto: Marina Pacheco)(Foto: Marina Pacheco)

Para as mães que precisam cuidar do filho e trabalhar, mas não sobra tempo para lavagem, Jaqueline conta que as fraldas podem ficar sujas até três dias. “Dá para armazenar dentro de um pote com tampa e quando tiver um tempo, é só retirar de lá e lavar. Tem também o saco impermeável que não vaza o cheiro”, diz.

Parece que até o produto de vó hoje é moderninho. “É um produto moderno e prático, diferente da calças plásticas de antigamente que eram só uma telinha. Não polui o meio ambiente”, afirma.

O valor para comprar uma fralda ecológica varia de R$ 45 a R$ 60, dependendo da marca. A administradora Jaqueline ainda comenta sobre a economia que o produto oferece. “Se tem uma dessa, a pessoa deixa de comprar 30 fraldas descartáveis no mês. O ideal é ter 24, pois a criança usa oito, enquanto têm outras oito prontas para uso e mais oito secando no varal”.

Mariane usa fralda reciclável na filha (Foto: Marina Pacheco)Mariane usa fralda reciclável na filha (Foto: Marina Pacheco)

Mariane Gonçalves empresária, mãe de dois filhos e esteve no encontro de ontem. Ela optou pelas fraldas ecológicas há três anos, após indicação de uma amiga e também por conta da economia. “Comecei usando o meu filho que agora tem três anos e hoje uso na minha menina. Quis investir pela questão financeira e por conta da sustentabilidade. A estimativa de economia é de R$ 6 mil a R$ 7 mil reais”, garante fazendo as contras até o desfralde.

O encontro ocorreu na semana do meio ambiente e também acontece a nível nacional. No local, casais, mães e gestantes aproveitaram para tirar as dúvidas e ainda participar de uma aula de yoga gratuita.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram

Confira mais fotos na galeria

 

Os participantes realizaram aula de yoga no parque (Foto: Marina Pacheco)Os participantes realizaram aula de yoga no parque (Foto: Marina Pacheco)
Saco impermeável pode ser usado para colocar fraldas sujas (Foto: Marina Pacheco)Saco impermeável pode ser usado para colocar fraldas sujas (Foto: Marina Pacheco)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.